Seja bem-vindo. 22 de maio de 2024 02:04
Previous slide
Next slide

Homem mata a mulher a facadas dentro de casa e se esconde em banheiro, diz polícia

Homem mata a mulher a facadas dentro de casa e se esconde em banheiro, diz polícia

Segundo a PM, houve uma discussão entre o casal antes do crime. Facada usada pelo suspeito foi apreendida.

Uma mulher foi morta a facadas, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. A Polícia Militar prendeu o marido dela em flagrante como o principal suspeito, juntamente com a faca usada no crime. Segundo os policiais, ele estava escondido no banheiro quando a equipe chegou.

O nosso veículo não encontrou a defesa do homem até a última atualização da reportagem.

O crime aconteceu na noite de sexta-feira (3), no Setor Chácaras Anhanguera A. Segundo os policiais, houve uma discussão entre o homem e a esposa, que acabou terminando com a vítima sendo agredida e morta com golpes de faca. A motivação será investigada pela Polícia Civil.

Vizinhos ouviram a discussão e chamaram a polícia. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foi chamado para prestar socorro à mulher, mas quando a equipe chegou ela já estava morto. O corpo dela ficou sob os cuidados do Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com o comandante Paulo Gouthier, o homem foi preso dentro de casa, enquanto se escondia no banheiro, bastante nervoso. Ele foi conduzido para a delegacia, onde foi autuado em flagrante pelo crime de feminicídio.

Feminicídio: homem é condenado a 70 anos por matar esposa e sogra

Josimar Benedito foi condenado a 70 anos e seis meses de prisão por duplo feminicídio, cometidos contra a ex-companheira e a ex-sogra

Josimar Benedito de Paiva (foto em destaque) foi condenado a 70 anos e seis meses de prisão por um duplo feminicídio, cometido contra a ex-companheira e a ex-sogra, e por fraude processual. O homem também deverá cumprir mais um ano de detenção e pagar multa. A decisão foi indicada pelo Tribunal do Júri de Planaltina.

Josimar Benedito de Paiva (foto em destaque) foi condenado a 70 anos e seis meses de prisão por um duplo feminicídio, cometido contra a ex-companheira e a ex-sogra, e por fraude processual. O homem também deverá cumprir mais um ano de detenção e pagar multa. A decisão foi indicada pelo Tribunal do Júri de Planaltina.

As vítimas são como Giane Cristina Alexandre, 36 anos, e Maria Madalena Cordeiro Neto, 65. Os crimes ocorreram entre os dias 9 e 10 de dezembro de 2020 na casa das mulheres, localizada no bairro Arapoanga, em Planaltina.

O autor rendeu as vítimas, amarrou os braços de ambas e as matou em seguida. Segundo consta no processo, o criminoso tirou a vida das duas mulheres “com as próprias mãos”. Depois de cometer a barbárie, ele escondeu a televisão da casa das vítimas, com intuito de montar uma cena de delito patrimonial e fez transferências bancárias das contas da ex-companheira e da ex-sogra.

Os crimes de feminicídio foram qualificados pelo motivo torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa e para assegurar a ocultação de outro crime. O presidente do júri destacou que as circunstâncias do crime são graves e merecem maior reprovação. Contou que o acusado matou as vítimas, com as quais conviveu por vários anos, na própria residência das ofendidas, “lugar em que a mulher busca sossego, paz e tranquilidade para si e seus filhos”.

O magistrado ressaltou ainda que o crime aconteceu quando havia na residência uma criança de seis anos de idade. Por fim, o juiz observou que o réu tem uma condenação definitiva, sendo reincidente em crime doloso. Assim, determinou que os crimes de reclusão serão cumpridos em regime inicial fechado e o crime de detenção será cumprido no regime inicial semiaberto. O réu não poderá recorrer em liberdade.

Vítima de feminicídio em Novo Gama deixa dois filhos, o autor que é Ex da vítima segue foragido.

Segundo testemunhas, os disparos ocorreram depois de uma discussão entre o ex -casal.

A polícia militar foi acionada para atender neste domingo 28/01 às 18hs uma ocorrência de disparos de arma de fogo no bairro santa luzia em nova gama entorno do Distrito Federal. No local os policiais encontraram um aglomerado de pessoas e caída ao solo atingida por dois tiros na cabeça, Regina bispo pereira de 26 anos, foram acionados para o local equipes do samu que declararam óbito da jovem.

A polícia militar foi informada por populares que o autor do crime seria o Ex companheiro da vítima identificado por Joaquim josé de carvalho neto 42 anos, segundo testemunhas, o autor chegou próximo da vítima no carro chevrolet zafira cor preto e começaram uma discussão, uma mulher que presenciou todo fato tentou impedir mas não deu tempo contou ela, a vítima foi atingida com dois tiros na cabeça.

O autor que trabalhava fazendo lotação pirata na região entrou no carro e fugiu, a polícia fez buscas nas imediações, porém o autor não foi localizado, o caso será investigado pela PC GO em Novo Gama.

 

Vítima de feminicídio foi morta na frente do filho de 3 anos

Criança foi encontrada pelos policiais ‘bastante assustada’ e escondida atrás de armário. Antônia Maria da Silva Carvalho, de 39 anos, foi morta a facadas pelo companheiro; suspeito se feriu e está internado.

A terceira vítima de feminicídio no Distrito Federal em 2024, Antônia Maria da Silva Carvalho, de 39 anos, foi morta a facadas pelo companheiro na frente do filho do casal, de 3 anos, nesta quarta-feira (17). A informação foi confirmada pela Polícia Civil.

O crime ocorreu no Recanto das Emas, quando Francisco Farias da Silva, de 46 anos, deu pelo menos dois golpes de faca em Antônia: um no peito e outro no pescoço. Em seguida, o homem tentou tirar a própria vida, mas foi socorrido e está internado no Hospital de Base.

De acordo com os investigadores, o filho do casal ficou “bastante assustado” após o crime. Os policiais encontraram o menino escondido atrás de um armário na casa da família.

Agora, a criança deve ser encaminhada ao Conselho Tutelar, até a chegada de parentes na capital. Antônia completaria 40 anos nesta quinta-feira (18)

A Polícia Civil informou ainda que Francisco tinha passagem por um crime que se enquadra na Lei Maria da Penha. Segundo a investigação, ele agrediu uma ex-companheira em 2012.

Além disso, os investigadores disseram que o homem também já respondeu por uma tentativa de homicídio. No entanto, a polícia disse que Antônia nunca tinha registrado ocorrência contra o companheiro.

“Vamos fazer uma investigação junto aos vizinhos, familiares e testemunhas para saber se a relação do casal seria conturbada, seguida de violência, ou se foi um fato isolado”, disse o delegado Fernando Fernandes, da 27ª Delegacia de Polícia, no Recanto das Emas.

Feminicídio: mulher é morta a facadas pelo companheiro no DF

De acordo com a PMDF, o autor tentou tirar a própria vida após o crime, mas foi socorrido por miliares do Corpo de Bombeiros do DF

Uma mulher de 39 anos foi assassinada pelo companheiro, Francisco Farias da Silva, 46 anos na noite desta quarta-feira (17/1), na quadra 604, do Recanto das Emas. O autor teria usado uma facada para consumar o feminicídio. Ela faria aniversário na quinta-feira (18/1).

O suspeito teria desferido ao menos duas facadas na vítima: uma no peito e outro no pescoço. Em seguida, o homem se esfaqueou no peito.

O crime ocorreu em frente ao filho do casal, uma criança de 3 anos, que se escondeu no armário no momento da violência

O homem cumpria regime domiciliar e tem três passagens na polícia, incluindo tentativa de homicídio e violência doméstica.

Esse é o terceiro caso de feminicídio em apenas 17 dias do ano. Segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal (SSP-DF), desde 2015, quando foi implementada a lei do feminicídio, 185 mulheres perderam a vida.

De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o suspeito tentou tirar a própria vida após o crime, mas foi socorrido Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). O homem foi encaminhado em estado grave para o Hospital de Base.

 

Feminicídio: homem mata namorada a pauladas e esconde corpo no pasto

Segundo as investigações, o namorado matou a mulher a pauladas, após uma discussão entre o casal, e ocultou o corpo

A Polícia Civil de Goiás (PCGO), por meio do Grupo de Investigação de Desaparecidos, em operação integrada com a Polícia Militar goiana, prendeu um homem nessa segunda-feira (15/1) pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver.

O homem era investigado pelo desaparecimento criminoso de sua namorada, uma diarista que foi vista pela última vez no sábado (13/1), por volta das 11h, ao deixar seu local de trabalho em um condomínio residencial no Setor Bueno, em Goiânia.

Segundo as investigações, o namorado matou a mulher a pauladas, após uma discussão entre o casal, e ocultou o corpo em uma região de pasto no Setor Residencial Real Grandeza, em Aparecida de Goiânia.

O corpo da vítima foi encontrado na manhã dessa segunda (15/1), após o autor confessar o ato e indicar o local onde o crime ocorreu .

 

Feminicídio: mulher é morta estrangulada pelo companheiro

Diana Farias foi encontrada morta na manhã desta 2ª feira, na QNM 24 de Ceilândia. Kelsen Oliveira de Macedo fugiu após cometer feminicídio

Uma mulher foi encontrada morta, estrangulada pelo companheiro, por volta das 8h35 desta segunda-feira (15/1). O feminicídio ocorreu na QNM 24, em Ceilândia. O Metrópoles apurou que a vítima se trata de Diana Faria Lima (foto em destaque), 37 anos. A polícia procura pelo suspeito de cometer o feminicídio, identificado como Kelsen Oliveira de Macedo, 42.

Informações iniciais sobre o caso dão conta de que um vizinho teria ouvido o casal discutir durante a noite. Pela manhã, Diana foi encontrada sem vida e com a traqueia afundada.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) informou que havia sido acionada para o endereço onde estava a vítima, para atender a uma suposta ocorrência de queda no banheiro.

O próprio companheiro da vítima ligou para pedir socorro à PM, segundo a corporação, e disse que a esposa tomava banho, quando teria supostamente usado cocaína e caído com sangramento pela boca e pelos ouvidos.

Depois de chegarem ao local do crime, os policiais pediram apoio do Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), que confirmou a morte de Diana e enviou uma aeronave para atender a ocorrência.

O CBMDF chegou a tentar reanimar a vítima, que estava em parada cardiorrespiratória e tinha suspeita de traumatismo cranioencefálico e sangramento nos ouvidos

Diana também “apresentava lesão no rosto e afundamento da traqueia”. “O solicitante [quem ligou para a polícia], que é companheiro da vítima, informou que ela era dependente química e estava sob efeito de cocaína. Ele fugiu do local”, completou a PMDF.

O caso é investigado pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) 2, em Ceilândia.

 

Feminicídio: mulher é assassinada a tiros pelo ex na frente da filha

Tainara Kellen Mesquita da Silva, de 26 anos, foi morta na tarde desta quarta-feira (10/1). Criminoso está foragido

Uma mulher foi vítima de feminicídio na frente da própria filha, de 5 anos, na tarde desta quarta-feira (10/1). O crime ocorreu na rua, na Quadra 29 do Setor Leste do Gama. O suspeito de matar, com pelo menos seis tiros, Tainara Kellen Mesquita da Silva, 26, é o ex-marido dela, Wesly Denny da Silva Melo, 29, que está foragido.

Tainara trabalhava em um salão de beleza perto de onde morava. O acusado enviou um WhatsApp para a vítima de um número desconhecido se passando por cliente do salão e dizendo que queria agendar um serviço.

Com objetivo de atrair Tainara para fora do estabelecimento, Wesly mentiu que estava na rua, mas não estava encontrando o endereço. Quando a vítima saiu do local de trabalho, Wesly sacou a pistola e começou a atirar. Foram 16 disparos, dos quais pelo menos seis acertaram a mulher.

Equipes da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foram acionadas, mas o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) havia chegado ao local do crime e confirmado a morte de Tainara.

A ocorrência – a primeira tipificada como feminicídio no DF em 2024 – será investigada pela 14ª Delegacia de Polícia (Gama).

A mãe de Tainara esteve no local, passou mal e precisou ser levada pela irmã ao hospital. Ao Metrópoles, uma vizinha contou que Tainara era uma mulher dedicada à família: “Era uma filha amorosa e uma mãe exemplar”.

Ainda de acordo com essa vizinha, que preferiu não se identificar, Tainara e o ex viviam terminando e se reconciliando. “Ele ameaçava ela demais, era muito possessivo”, contou.

O principal suspeito do crime, Wesly Denny, é um velho conhecido da polícia e tem pelo menos 11 antecedentes criminais, entre eles duas por Lei Maria da Penha, porte de arma, ameaças, vias de fato e desacato.

Morta a tiros: quem era a 33ª vítima de feminicídio no DF

Michele Carvalho Magalhães, 30, foi encontrada caída ao lado do próprio carro na madrugada desta 3ª. A PCDF investiga o caso

Michele Carvalho Magalhães, 30 anos, foi encontrada morta caída, de bruços, ao lado de um Fiat Mobi na madrugada desta terça-feira (26/12). Com marcas de tiros, inicialmente, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) trata a morte de Michele como o 33º feminicídio registrado na capital federal em 2023.

O caso ocorreu na Estância Mestre d’Armas 5, em Planaltina (DF). O carro que estava perto do corpo de Michele estava registrado no nome dela.

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) informou que, quando equipe da corporação chegou ao local do ocorrido, encontrou a vítima morta. Ela foi achada caída, de bruços, ao lado de um Fiat Mobi.

A Polícia Civil detalhou que, momentos antes de o socorro ser acionado, o veículo havia colidido contra o portão de uma serralheria, na rua imediatamente acima daquela em que foi achada a vítima. A 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina) apura o caso.

 

homem que matou ex com 47 facadas é condenado a 31 anos de prisão

Vítima de feminicídio, Gabriela Bispo de Jesus, 33 anos, foi morta na frente do filho. Crime aconteceu em Samambaia em maio deste ano

O Tribunal do Júri de Samambaia condenou Reriton Gomes (foto em destaque), de 38 anos, a 31 anos e seis meses de prisão por matar a ex-companheira Gabriela Bispo de Jesus, 33, com 47 facadas na frente do próprio filho.

Durante o julgamento, os jurados acolheram a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e afirmaram que o réu praticou um crime de feminicídio em contexto de violência doméstica e familiar, por motivo torpe.

Para o juiz presidente do Júri, o fato de o crime ter sido cometido no interior da residência da vítima, em 9 de maio de 2023, demonstra a atitude covarde do réu em atentar contra a vida da mulher no local que deveria representar um ambiente seguro.

Além disso, segundo o magistrado, houve quebra de confiança, pois, de acordo com o depoimento em juízo de uma testemunha, a vítima não acreditava que o réu fosse capaz de tentar matá-la.

De acordo com o magistrado, as consequências do crime são graves, uma vez que a vítima deixou um filho autista de 3 anos de idade.

O juiz ainda destacou que, segundo testemunha ouvida em plenário, a criança dependia muito dos cuidados da mulher, pois, em razão da condição, “o menor não falava, de modo que era a mãe, segundo a testemunha, que ‘adivinhava o que a criança queria’ para atender às suas necessidades”.

Reriton deverá cumprir a pena em regime inicial fechado e não poderá recorrer da sentença em liberdade.