Seja bem-vindo. 14 de junho de 2024 03:06
Previous slide
Next slide

O ficha suja Cristóvão Tormim, é acusado por diversos crimes de corrupção e assédio sexual, tragicamente assumirá cadeira de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Goiás

O ficha suja Cristóvão Tormim, é acusado por diversos crimes de corrupção e assédio sexual, tragicamente assumirá cadeira de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Goiás

Impunidade, um dos fatores que explicam percepção da corrupção do Brasil o crime na política compensa!?

A Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) realizou, terça-feira (26), a retotalização de votos para o cargo de deputado estadual das eleições de 2022. A medida é resultado do indeferimento do registro de candidatura do deputado estadual Fred Rodrigues (DC), que perdeu o mandato por pendência na prestação de contas nas eleições de 2020, quando concorreu a vereador de Goiânia. O candidato disputou o pleito de 2022 e tomou posse por meio de decisão judicial.

Com a diplomação à vista, a ficha pregressa do político vem à tona com uma série de processos envolvendo suas administrações e até acusações de assédio sexual.

Em abril deste ano, a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Últimos Atos para apurar o suposto desvio de recursos repassados pela União ao município de Luziânia, durante a pandemia de covid-19. Os agentes realizaram buscas contra o ex-prefeito Cristóvão Tormin. A investigação aponta que houve superfaturamento de 64% em um contrato firmado para compra dos testes no valor de R$ 1,9 milhão.

Em janeiro de 2021, o MPGO pediu o bloqueio de mais de R$ 500 mil de Tormin. Dois dias antes de deixar o cargo de prefeito de Luziânia, ele concedeu a si mesmo e a secretários do governo municipal um aumento de salário retroativo. Os reajustes custaram R$ 3,4 milhões, sendo somente para o prefeito, R$ 581 mil.

Durante o último ano em que esteve à frente da Prefeitura de Luziânia, em 2020, Tormin chegou a ser afastado pela Justiça por 120 dias após denúncias de assédio sexual e contratação de funcionário fantasma. Testemunhas afirmam que a nomeação do então funcionário fantasma se deu em troca de apoio político a um então candidato a deputado estadual que era ex-secretário municipal e primo de Cristóvão.

No mesmo ano, o MP-GO propôs ação civil pública por improbidade administrativa, com pedido cautelar de bloqueio de bens, contra o prefeito, que estava afastado pela Justiça, e duas ex-secretárias de Educação. De acordo com o MP, juntos, eles foram responsáveis por mais de 130 contratações de servidores temporários sem prévio processo simplificado ou lei municipal que estabelecesse os casos e suas especificações.

Na ação, foi pedido o bloqueio de bens de Cristóvão Tormin, no valor total de R$ 2.525.104,00, sendo R$ 445.104,00 por dano ao erário e multa civil de cem vezes o valor de sua remuneração, o que corresponde a R$ 2.080.000,00. Em relação a Indiana Machado, o bloqueio total requerido é de R$1.636.504,00, sendo R$ 445.104,00 por dano ao erário e multa civil de cem vezes o valor de sua remuneração, num total de R$ 1.191.400,00.

Cleudinéia Pince, foi indicado o bloqueio de R$1.498.404,00, relativo a R$ 445.104,00 por danos aos cofres públicos e multa civil de cem vezes o valor de sua remuneração, estimado em R$ 1.053.300,00.

O político Cristóvão Tormin, manchou a história da cidade com os escândalos de corrupção… o município ficou conhecido pelas manchetes como uma das cidades mais se registrava denúncias na administração pública municipal. Tormin quase apagou a história tradicional de uma cidade rica com Agropecuária forte e independente… alguns político se comentam como Cristóvão deixou uma marca negativa na cidade e único legado como político.

Manú Rodrigues recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás, pelos relevantes trabalhos prestados à comunidade

Manú Rodrigues recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás, pelos relevantes trabalhos prestados à comunidade

Manú Rodrigues de Valparaíso de Goiás, foi agraciada com uma Moção de Aplausos pelas ações articuladas por ela junto ao Poder Público em todas as esferas, entidades, instituições e sociedade em geral, especialmente no que tange à políticas públicas para mulheres, crianças e a família.

Na oportunidade, Manú, ao lado do Vereador Edson Nunes, autor da proposta de Moção, agradeceu pela homenagem. A cerimônia aconteceu no plenário Arquicelso Bites da Câmara Municipal de Valparaíso, na tarde desta Sexta-feira (24/11). A Moção foi aprovada pelos 13 vereadores.

Para Manú, estar servidora do Estado de Goiás é a oportunidade de fazer a diferença na vida das pessoas, das famílias. “Estou a disposição da comunidade e tenho a chance de mudar para melhor a vida de alguém. Se eu conseguir dar condições de uma mulher ter sua dignidade respeitada, de uma criança ser prioridade e responsabilidade de todos à sua volta, de uma idosa ser tratada com amor e gratidão, com as ferramentas das instituições públicas, estarei cumprindo minha missão. Só tenho a agradecer por esta oportunidade”, disse a Jornalista Manú Rodrigues.

Manu é pedagoga, jornalista, vice-presidente da FENACOM e assessora do Governador de Goiás, Ronaldo Caiado, desempenhando suas funções de maneira exemplar em prol da comunidade .

Audiência pública realizada pela Comissão da Criança e Adolescente debateu a implementação da escuta especializada

Audiência pública realizada pela Comissão da Criança e Adolescente debateu a implementação da escuta especializada

Marca Assembleia Legislativa do Estado de Goiás

Audiência pública realizada pela Comissão da Criança e Adolescente debateu a implementação da escuta especializa

Audiência pública realizada pela Comissão da Criança e Adolescente debateu a implementação da escuta especializada
Audiência sobre o tema: “A Escuta Especializada: implementação da Lei n. 13.431 de 2017”
A escuta especializada: implementação da Lei nº 13.431, de 2017, foi tema da audiência pública realizada pela Comissão da Criança e do Adolescente, presidida pelo deputado Talles Barreto (UB). O encontro ocorreu no auditório 2 do Palácio Maguito Vilela, sede da Alego e contou com a presença da coordenadora da subcomissão de combate ao abuso de crianças e adolescente da OAB-GO, Daniele Nava, do promotor público e coordenador da área da infância e juventude do Ministério Público de Goiás, Pedro de Mello Florentino, do defensor público da 3ª Defensoria Pública da Infância e Juventude da Capital, João Pedro Carvalho Garcia, da delegada titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente de Goiânia, Mariza Mendes César.

Além deles, tomaram assento na mesa a gerente de inclusão, diversidade e cidadania da Secretaria Municipal de Educação de Goiânia, Lianna Marya Peixoto Gusmão, da psicóloga da Gerência de Proteção Social Especial da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDS), Camila Fajardo Beja, e da coordenadora de cuidado à saúde de pessoas em situação de violência da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ana Maria Porto da Silva.

Ao iniciar os debates, Barreto ressaltou que a lei e seus respectivos decretos complementares foram criados para assegurar que o atendimento seja sensível, respeitoso e eficaz. Assim, ele considerou que a audiência é para esclarecer os níveis de atendimento nos casos de violência. “Vamos entender o papel crucial desenvolvido por diversas pastas, como saúde, educação e segurança. Essa audiência é, ainda, para ouvir os desafios enfrentados por quem lida, diretamente, com essa realidade. Isso é fundamental para melhorar nossas políticas e práticas. Vamos juntos unir esforços para garantir o melhor para nossas crianças”, declarou.

Aumento de casos

Após a fala inicial do deputado, a palavra foi franqueada à coordenadora da subcomissão de combate ao abuso de crianças e adolescentes da Ordem dos Advogados do Brasil seção Goiás (OAB-GO), Daniella Nave. Na ocasião, ela apontou dados alarmantes sobre a realidade brasileira envolvendo o tema: o País bateu recorde de violência sexual contra crianças e adolescentes. “Esse debate visa promover o máximo de proteção a nossa criança. Até porque a subnotificação é ainda maior do que os casos registrados. E vale pontuar que a maioria dos agressores faz parte de pessoas conhecidas”, completou.

A coordenadora também apontou que a escuta especializada não precisa ser, necessariamente, realizada por um psicólogo. “Basta um treinamento, pois o foco da escuta especializada não é de produzir provas, mas de acolher e proteger a criança”. Ela finalizou afirmando que “quem poupa o lobo, sacrifica as ovelhas”, em alusão àqueles que se calam diante de situações de violência contra as crianças.

O promotor de Justiça, Pedro de Mello Florentino, reiterou os dados apontados por Daniella, mas considerou que o aumento dos casos está diretamente ligado ao aumento de denúncias. “A violência sempre existiu, mas o aumento de casos ocorre porque os familiares, e até mesmo as crianças, estão se sentindo mais seguros para relatar os casos, estão sendo mais transparentes”, disse.

Rede de apoio integrada

Ao comentar sobre a escuta especializada, o promotor observou que vários órgãos e instituições atuam no atendimento às vítimas. “Parte-se do pressuposto que nenhuma instituição é capaz, sozinha, de oferecer a proteção integral. Essa rede de proteção precisa atuar de maneira coordenada. Se esses órgãos não atuarem de maneira conjunta, não vamos conseguir resolver o problema e ajudar nossas crianças”, afirmou.

Ele destacou que a Lei nº 13.431 apresenta mecanismos para fortalecer a rede integrada e apontou, como exemplo, o Plano Municipal e o Comitê de Gestão. Ele apontou que os dispositivos têm por objetivo estabelecer um fluxo de atendimento, de modo a evitar que a criança relate um episódio de violência por várias vezes e advertiu que essa prática da repetição é maléfica para a criança, podendo ocasionar traumas, sentimento de culpa ou revitalização.

Ao fazer uso da palavra, o defensor público João Pedro Garcia reafirmou o compromisso do órgão em atuar pela efetividade das leis de proteção à criança e ao adolescente. Assim, ele considerou que o foco do encontro era fazer uma análise do que já funciona em relação ao atendimento e o que é preciso implementar. “Existem vários tipos de violência e sabemos que é fundamental o preparo desses profissionais para realizar um atendimento mais humanizado. Por isso, essa rede precisa abarcar todos os envolvidos. Sabemos que, por exemplo, as crianças confiam nos professores da sua escola, então é preciso integrar e eu deixo a defensoria à disposição para colaborar como for preciso”, finalizou.

Mariza Mendes é titular da Delegacia de Proteção à Criança e destacou que não é possível atuar no combate à violência contra a criança sem um trabalho em rede coordenado. “Nós que estamos na ponta da atividade, percebemos como é doloroso para a vítima falar sobre os fatos que aconteceram, sobretudo quando é violência sexual. Então, o que eu vejo que seria muito importante é que houvesse uma efetiva comunicação da escuta especializada, para mitigar o sofrimento de alguém que já está passando por essa situação”, finalizou.

A gerente de inclusão, diversidade e cidadania da Secretaria Municipal de Educação de Goiânia, Lianna Marya iniciou suas contribuições afirmando seu entusiasmo em perceber o empenho de tantas entidades e órgãos em prol da proteção infantil. Ela apontou a estratégia de ação da pasta em perceber as características da violência, a partir de uma ficha preenchida, baseada em relato, capaz de verificar vários itens. Porém, ela apontou sobre os riscos de instigar perguntas e disse que esse modelo é passível de ser tendencioso, uma vez que pode ocasionar respostas objetivas de “sim” ou “não” fora de um contexto. Além disso, ela reiterou que o foco precisa ser em inibir novas violências. Por fim, Lianna foi contundente em afirmar que é fundamental que os professores da rede municipal estejam preparados para atuar na escuta especializada.

Estrutura de qualidade

Camila Fajardo Beja é psicóloga da gerência de Proteção Social Especial da SEDS e ao fazer uso da fala considerou ecoar o anseio dos municípios goianos. “Mais da metade dos municípios do nosso Estado não tem a estrutura adequada. É comum recebermos ligações diárias de cidades solicitando auxílio porque não possuem o básico, é uma angústia muito grande. Antes do desafio de capacitar os profissionais, é preciso estruturar a rede. Quando não temos essa estrutura adequada, não conseguimos executar essa escuta especializada implementar essa ficha”. Ela apontou, ainda, que a falta de qualificação atropela o processo e muitas vezes os profissionais já querem realizar um depoimento e produzir provas, antes de realizar a escuta especializada.

Por fim, a coordenadora de cuidado à saúde de pessoas em situação de violência da SES, Ana Maria Porto da Silva destacou as atribuições da pasta quanto ao tema e também pontuou sobre a falta de comunicação efetiva entre as redes de proteção. Em relação a essa dificuldade, ela apontou que um dos gargalos é a rotatividade da equipe.

Quanto à legislação vigente, a coordenadora pontuou que os dispositivos são eficazes e o que falta é a implementação das práticas dispostas no texto. “É importante entender que, quando o profissional não promove um atendimento de qualidade, a gente perde essa vítima. A pandemia também evidenciou a fragilidade de algumas crianças dentro das próprias casas. É um número altíssimo de jovens tentando o autoextermínio. É importante, portanto, que a comunicação aconteça. É preciso organizar a rede, conhecer as pessoas e estipular ações a curto, médio e a longo prazo”. Assim, Ana Maria destacou o projeto piloto da SES de atenção voltada à saúde mental das crianças que sofrem violências. “Essa criança precisa receber esse cuidado de saúde mental, que é um processo longo. O governador tem colaborado para o desenvolvimento dessas políticas, pois se não formos sensíveis quanto a esse tem,a estaremos colocando em risco o futuro do País”, finalizou.

Participação popular

Após a fala dos oradores, a palavra foi franqueada ao público para contribuições e esclarecimentos de dúvidas. Uma das participantes perguntou sobre o preparo dos profissionais da escuta especializada quanto ao atendimento de crianças com diagnósticos das chamadas “deficiências ou doenças invisíveis”, como Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Dislexia. Segundo a participante, crianças especiais precisam de um atendimento especializado e questionam o que tem sido feito para melhorar esse cenário. A pergunta foi respondida por Daniele Nave, que ressaltou que o treinamento e preparo para a escuta especializada ainda é insuficiente em diversos aspectos e ressaltou que é preciso, sobretudo, efetivar esse preparo e incluir, também, o atendimento de crianças especiais.

Outro participante sugeriu que fosse criado em cada município um conselho para contribuir com o atendimento de crianças vítimas de violência. A sugestão foi comentada pelo promotor Pedro de Mello que ressaltou que um dos decretos complementares da Lei nº 13.431 já estabelece a criação desse conselho. Porém, o promotor enfatizou que a implementação desses conselhos fica a cargo de cada prefeitura.

Após a participação dos inscritos e das considerações finais, o encontro foi encerrado pelo presidente da Comissão, deputado Talles Barreto.

Agência Assembleia de Notícias

Outubro Rosa na Alego

Outubro Rosa na Alego

Marca Assembleia Legislativa do Estado de Goiás

Outubro Rosa na Alego
Sessão solene extraordinária em homenagem ao Outubro Rosa
A Assembleia Legislativa de Goiás realizou na manhã desta quarta-feira, 4, sessão solene em homenagem a mulheres que enfrentam ou enfrentaram o câncer de mama além da comunidade que lhes presta apoio.
A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) promoveu, na manhã desta quarta-feira, 4, sessão solene em homenagem ao Outubro Rosa e entrega de Certificado do Mérito Legislativo. Na ocasião foram homenageadas mulheres que enfrentam ou enfrentaram o câncer de mama quanto a comunidade que lhes presta apoio.

A sessão foi proposta pelo presidente da Casa de Leis, Bruno Peixoto, que esteve presente, mas foi representado na presidência e condução dos trabalhos pelo deputado Amauri Ribeiro (UB). Compuseram a mesa dos trabalhos também o presidente da Associação de Combate ao Câncer de Goiás, Jales Benevides Santana Filho; a gerente de Humanização, Maria Salete Batista, a representante do secretário de Estado da Saúde, Sérgio Vêncio; a senhora Luciene Gontijo, esposa do deputado Bruno Peixoto (UB); a senhora Roberta Pimenta, irmã do deputado Bruno Peixoto; a secretária Municipal de Políticas para Mulheres de Goiânia, Kátia Hyodo e Silva; secretário da Sociedade Brasileira de Mastologia Regional de Goiás, mastologista Rogério Bizinoto; comandante do Batalhão Maria da Penha, Major Dyrlene Seixas Santana; e a comandante da Patrulha Mulher Mais Segura da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia, Luiza Sol.

Luciene Gontijo, esposa do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Bruno Peixoto (UB), ao proferir seu discurso, compartilhou com os participantes a luta que sua mãe enfrentou contra o câncer de mama. Ela aproveitou a oportunidade para ressaltar a importância da atenção à saúde psicológica no tratamento do câncer de mama.

“Não foi uma jornada fácil. O que minha mãe passou foi muito difícil e mesmo assim ela demonstrou uma força inabalável. Porém, depois da cura, ela enfrentou outro desafio, a depressão. Infelizmente, ela veio a falecer após três anos de cura. Por isso, é importante ressaltar que a batalha não termina após a cura da doença. É preciso também tratar dos danos emocionais. Por isso é preciso uma rede de apoio”, afirmou.

O presidente da Alego, deputado Bruno Peixoto (UB), apesar da agenda apertada, fez questão de passar pela sessão, subiu à tribuna e também discursou. Na oportunidade, Peixoto relembrou a luta que sua sogra enfrentou contra a doença e o quanto isso afetou toda sua família. “Por isso, eu digo que temos que cuidar não apenas do paciente, mas de toda a família, pois é toda a família que adoece. Temos que permitir que um familiar acompanhe o tratamento”, declarou.

Por fim, o presidente informou que a Assembleia Legislativa realizará exames de papanicolau e mamografia nas dependências da Alego totalmente de graça. “Faremos de tudo, daremos todo o apoio necessário para atender aqueles que estão em tratamento e seus respectivos familiares”, finalizou.

Rede de apoio

A gerente de Humanização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Maria Salete Batista, fez uso da palavra e ressaltou o peso de falar diante de “guerreiras vitoriosas”. Ela aproveitou a oportunidade para reiterar a importância de estender os cuidados, também, às famílias.

“Nós viemos só e voltaremos só, mas, enquanto aqui estivermos, precisamos uns dos outros. Muitos pensam e visualizam apenas o agravo, e esquecem o ser macro. Porém, é a sequela da alma, a sequela invisível que precisamos ter atenção. Precisamos abraçar. Que esse laço rosa envolva não apenas o físico, mas o espiritual. As associações e essa Casa de Leis precisam abraçar fisicamente e espiritualmente. Cristo dizia: amai-vos, para depois amar o outro. E às vezes, por inúmeros fatores, nos esquecemos de nós mesmos. Guerreiras vitoriosas, quero me dirigir a vocês: nunca deixem de se amar”, declarou.

Após a fala da gerente, o presidente da Associação de Combate ao Câncer de Goiás, Jales Benevides, também discursou e lembrou que o câncer de mama é o mais incidente no Brasil e no mundo, e explanou sobre a importância de se ter políticas públicas mais eficazes em relação à prevenção e ao combate da doença no País. “Queria chamar à atenção sobre a importância da detecção precoce da doença e do apoio contínuo, a rede de apoio, isso faz a diferença na vida do paciente”.

Jales ressaltou também a luta que a mulher enfrenta depois de um tratamento de câncer de mama. “Não pode mais trabalhar, muitas vezes não pode levantar um copo para beber água, então essas mulheres têm que ser vistas de uma forma diferente pela nossa sociedade e pelos nossos políticos”, concluiu.

A presidente do Instituto Mulheres de Alto Valor, Bruna Tomazzeti, também participou da sessão solene em homenagem ao Outubro Rosa. Ela reiterou a importância de atenção à saúde mental no tratamento do câncer de mama.

Bruna disse que é preciso ser parceiro das mulheres. “O câncer não acontece no momento da doença, ele acontece antes. Precisamos lembrar que muitos traumas ocorrem porque não temos saúde pública voltada para a atenção mental. A saúde mental mal resolvida deságua em câncer, diabetes, outras doenças. Cuidar da mente é salvar vidas”, observou.

A Secretária de Políticas para Mulheres de Goiânia, Kátia Silva Hyodo fez uso da palavra e contou sua história de luta contra a doença, compartilhou seu apoio e solidariedade às mulheres que também enfrentam essa luta. “É importante que esta Casa ofereça esperança, ajuda e encoraje outras mulheres a buscarem ajuda e apoio quando necessário”.

A comandante da Patrulha da Mulher Mais Segura da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia, Luiza Sol, também se pronunciou. Ela contou que atende muitas mulheres pacientes de câncer vítimas de violência física e principalmente psicológica. “A violência psicológica causa muito mais marcas que a violência física, porque fica dentro da mente da mulher faz ela acreditar que ela não é mais capaz”.

Luiza explicou ser fundamental um apoio psicológico e social às mulheres vítimas de violência. “É necessário uma rede de apoio para que elas tenham como trabalhar e sustentar os filhos, a família, e voltarem a acreditar em si mesmas”.

Ao discursar em nome das homenageadas, Edna Maria agradeceu à presidente do Grupo Superação, pelo trabalho social desenvolvido junto aos pacientes de câncer de mama. Ela enfatizou que compartilhar as experiências é ter ciência que outras mulheres também enfrentam o câncer de mama e isso é parte fundamental do tratamento.

“As famílias nos apoiam o tempo todo, os amigos também. Mas quem mais nos apoia são as pessoas que passam pelo mesmo sofrimento que nós. Só quem passa por uma quimioterapia sabe como é o tratamento. Mas à medida que vamos melhorando, vamos apoiando umas às outras. Somos guerreiras, temos visibilidade no Outubro Rosa, mas queremos essa visibilidade no ano todo, por isso quero agradecer à Alego pelas políticas públicas que vêm sendo desenvolvidas no Estado”, finalizou.

Hospital Araújo Jorge

O deputado Amauri Ribeiro em seu discurso relatou que fez o compromisso pessoal de sempre colocar parte de sua emenda parlamentar no Hospital Araújo Jorge, conhecida por ser referência no tratamento de câncer.

Amauri falou que o Hospital Araújo Jorge desempenha um papel fundamental no cuidado de pacientes com câncer em Goiás e em estados vizinhos, fornecendo diagnóstico e tratamento avançados para diversas formas da doença. Além disso, a instituição realiza atividades de pesquisa e prevenção ao câncer, buscando avanços na área oncológica. “Todos nós temos que ter o compromisso de cuidar dessa instituição, pois é no hospital que vamos nos socorrer num momento de necessidade, e essa doença infelizmente aparece quando menos se espera”.

O parlamentar parabenizou o trabalho do presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, deputado Bruno Peixoto, que pela primeira vez na história da Casa, conseguiu unir todos os parlamentares em prol de uma única causa. “Foram 4 milhões arrecadados de emenda parlamentar, com contribuição de todos colegas desta Casa, e com isso vamos conseguir comprar um importante aparelho de tomografia para o Hospital Araújo Jorge”.

Semana produtiva e de decisões importantes no Parlamento goiano

Semana produtiva e de decisões importantes no Parlamento goiano

Marca Assembleia Legislativa do Estado de Goiás

Semana produtiva e de decisões importantes no Parlamento goiano
22 de Setembro de 2023 às 14:50
Crédito:

Semana produtiva e de decisões importantes no Parlamento goiano
Os deputados encerraram a semana, na Assembleia Legislativa de Goiás, com apreciação e votação de projetos importantes em tramitação na Casa, entre eles, o que desestatiza a Celgpar. Foram realizadas três sessões ordinárias e uma extraordinária, além de cinco sessões solenes, cinco reuniões das comissões técnicas e quatro audiências públicas. A Casa promoveu cursos de capacitação para os servidores, eventos culturais e visitas de alunos de escolas públicas. O lançamento do novo PAC também marcou a semana na Alego.
A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) realizou quatro sessões deliberativas na terceira semana de deliberações do mês de setembro: três em caráter ordinário e uma extraordinária. Nos encontros, foram apreciadas matérias da Governadoria e de parlamentares.

O destaque da semana fica por conta da propositura da Governadoria que desestatiza a Companhia Celg de Participações (Celgpar). Além dos debates e votações, a Casa promoveu cinco sessões solenes, quatro audiências públicas, cinco reuniões de comissões, além de cursos, encontros, e eventos culturais.

Sessões deliberativas

Na terça-feira, 19, a Alego foi palco da primeira sessão ordinária da semana. Os deputados estaduais goianos se reuniram, no Plenário Iris Rezende, para deliberar sobre diversas pautas. Uma das principais medidas aprovadas foi a que facilita a inserção de estudantes da rede estadual no mercado de trabalho.

O projeto de lei nº 10094/22 visa auxiliar jovens na conquista do primeiro emprego e promover a inserção de estudantes da rede pública no mercado de trabalho. Também foi aprovado o projeto que obriga a comunicação dos Cartórios de Registro Civil ao Ministério Público sobre a realização de registro de nascimento por mães e pais menores de 14 anos.

Além disso, durante a sessão, foi destacada a estreia do sistema digital de apresentação de matérias na Alego, uma inovação que busca proporcionar maior transparência à sociedade.

Na quarta-feira, 20, em sessão extraordinária, deu-se início ao debate, em plenário, sobre a medida que passa a Celgpar para controle da iniciativa privada. Os legisladores deram, ainda, sinal verde para 16 matérias na sessão ordinária.

O projeto de lei nº 2417/23, que visa a desestatização da Celgpar, foi o foco das discussões. Parlamentares de diferentes posições expressaram suas opiniões sobre a medida, alguns destacando sua importância para a eficiência do Estado, enquanto outros expressaram preocupações com a venda de uma empresa estratégica em um momento de crise climática.

Assim, na quinta-feira, 21, os deputados aprovaram, em definitivo, a desestatização da Companhia. A medida, enviada pela Governadoria, busca melhorar os serviços de geração e transmissão de energia elétrica por meio de investimentos privados, contribuindo também para a reestruturação econômica e redução da dívida pública do Estado.

Durante a sessão, a presença do chefe da Casa Civil do Executivo federal, Rui Costa, na Alego, foi mencionada, uma vez que ele estava presente para o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Goiás. Os parlamentares celebraram a presença de Costa e enfatizaram a importância da efetiva aplicação dos investimentos destinados ao estado.

Comissões

Durante a semana, a Alego foi palco de intensas atividades nas comissões, com cinco reuniões que abordaram uma variedade de temas. Confira os principais destaques:

Na terça-feira, 19, a Comissão Mista, sob a presidência de Wagner Neto (Solidariedade), se reuniu para tratar da autorização das medidas de desestatização da Celgpar. O projeto gerou debates que resultaram em um pedido de vista e no encerramento da reunião.

Na mesma data, os deputados da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa discutiram dois projetos. O primeiro, de autoria de Dr. George Morais (PDT), visa criar o Programa Censo Estadual de Pessoas em Situação de Rua. O segundo, de autoria de Talles Barreto (UB), proíbe invasores de propriedades rurais de acessarem benefícios governamentais.

Na mesma tarde, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) aprovou 32 relatórios, incluindo um veto da Governadoria. Destaque para o debate sobre o uso de agrotóxicos em Goiás, com parlamentares defendendo a proibição da pulverização aérea. A comissão aprovou também o veto integral ao projeto que obrigaria a religação do serviço de energia elétrica em até duas horas após o pagamento durante o expediente bancário.

Já na quarta-feira, 20, com a devolução do pedido de vista, a Comissão Mista, enfim, aprovou o projeto da Governadoria sobre a Celgpar, com 23 votos favoráveis e 4 contrários.

Na Comissão de Cultura, Esporte e Lazer, 11 projetos foram aprovados, incluindo a designação de Taquaral como a “Capital da Moda Íntima” e o reconhecimento de Itauçu como a “Capital Goiana do Salgado.” Também foram reconhecidos títulos como a “Capital da Chica Doida” e a “Capital da Fé Cristã.” Vários projetos visando incluir eventos goianos no Calendário Cívico, Cultural e Turístico do Estado foram aprovados, abrangendo festivais, celebrações e eventos culturais. Diversos projetos foram distribuídos para análise, abrangendo temas que vão desde a denominação de escolas até o reconhecimento de festas como Patrimônio Cultural Goiano.

Sessões Solenes

Durante a semana, a Assembleia Legislativa promoveu cinco sessões solenes em reconhecimento a setores da sociedade goiana. Os eventos destacaram a importância do agronegócio, da doação de órgãos, dos profissionais de saúde, dos auditores fiscais e dos catadores de materiais recicláveis. A Alego prestou homenagens a indivíduos e grupos que desempenham papéis no Estado.

Agronegócio em Destaque

Na segunda-feira, 18, o deputado Cairo Salim (PSD) iniciou a semana com uma sessão solene dedicada ao agronegócio. A solenidade reconheceu a importância deste setor, em Goiás, e contou com a presença de autoridades como o secretário de Agricultura do Estado, Pedro Leonardo de Paula Rezende, e o presidente da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura (SGPA), Gilberto Marques Neto. O deputado Salim destacou a necessidade de apoio aos produtores rurais e a importância de agregar valor à produção agropecuária para gerar mais riquezas e empregos no Estado.

Dia Nacional da Doação de Órgãos

Na terça-feira, 19, o deputado Wilde Cambão (PSD) propôs uma sessão solene extraordinária em homenagem ao Dia Nacional da Doação de Órgãos. A solenidade reconheceu centenas de pessoas envolvidas em auxiliar doadores, familiares e pacientes que receberam transplantes. Cambão destacou a importância da conscientização sobre a doação de órgãos e homenageou os profissionais que desempenham um papel crucial nessa área.

Reconhecimento aos Profissionais da Saúde

Na quarta-feira, 20, o deputado Mauro Rubem (PT) promoveu uma sessão solene em reconhecimento aos profissionais da saúde em Goiás. A solenidade homenageou diversos profissionais que atuam na área da saúde e enfrentam desafios diários para garantir o bem-estar da população. Mauro Rubem ressaltou a importância de valorizar esses profissionais e destacou a necessidade de melhores condições de trabalho para eles.

Homenagem aos Auditores Fiscais

Na quinta-feira, 21, o deputado Delegado Eduardo Prado (PL) propôs uma sessão solene em homenagem ao Dia do Auditor Fiscal. Prado destacou a importância desses profissionais como guardiões dos cofres públicos de Goiás e reforçou seu compromisso em apoiar a categoria. O presidente da Alego, deputado Bruno Peixoto (UB), também enfatizou a relevância do trabalho dos auditores fiscais para o crescimento do Estado.

Reconhecimento aos Catadores de Materiais Recicláveis

Encerrando a semana de homenagens, o deputado Paulo Cezar Martins (PL) propôs uma sessão solene na noite da quinta-feira, 21, para homenagear os catadores de materiais recicláveis. A solenidade reconheceu o papel desses trabalhadores como agentes ambientais que contribuem para a sustentabilidade e a limpeza das cidades. O deputado Paulo Cezar destacou a importância da dignidade no trabalho para esses profissionais e o apoio do governo para a categoria.

Audiência públicas

O Parlamento goiano foi palco de audiências públicas que discutiram temas para o Estado no decorrer da semana. Quatro eventos marcaram a agenda parlamentar, com destaque para os seguintes pontos:

Plano Plurianual (PPA) 2024-2027 é Debatido na Comissão de Finanças:

Sob a liderança do presidente Renato de Castro (UB), a Comissão de Finanças realizou uma audiência pública na manhã da terça-feira, 19, com a participação da secretária de Economia, Selena Perez. O PPA foi apresentado e discutido, com foco nas diretrizes do governo estadual para os próximos anos.

O presidente destacou a importância do PPA como um plano estratégico que reflete as promessas feitas pelo governador Ronaldo Caiado durante a campanha de 2022. A secretária Selena Perez explicou que o PPA abrange todas as políticas públicas do Governo, desde saúde até infraestrutura, e ressaltou a importância da participação do Legislativo no processo.

Audiência sobre a Criação do Conselho de Proteção à Pessoa Idosa:

O deputado Ricardo Quirino (Republicanos) liderou uma audiência que discutiu o projeto de lei federal que visa criar o Conselho de Proteção à Pessoa Idosa na Câmara dos Deputados. O projeto é de autoria do deputado federal Luciano Ducci (PSB). Quirino destacou a relevância do projeto a nível nacional e ressaltou a importância da discussão regionalizada para promover a proteção dos direitos dos idosos em Goiás. Diversos representantes, incluindo a gerontóloga Maria Luiza Brandão Lobo e a deputada Drª. Zeli, contribuíram com ideias e sugestões para o projeto.

Discussão do Plano Plurianual na Fecomércio:

Pela primeira vez na história, a Comissão de Tributação, Finanças e Orçamento realizou uma reunião fora da Alego, no auditório da Fecomércio. O foco foi o Plano Plurianual 2024-2027. O presidente da Alego, Bruno Peixoto (UB), enfatizou a necessidade de recursos extras para investimentos em infraestrutura, destacando a importância das duplicações de rodovias. O evento contou com a presença de autoridades ligadas à economia, e foi mencionada a inclusão de trechos do anel viário da Região Metropolitana de Goiânia no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal.

“Setembro Amarelo”:

A Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa, liderada pelo deputado Cristiano Galindo (Solidariedade), realizou uma audiência pública dedicada ao “Setembro Amarelo”, campanha nacional de combate ao suicídio e promoção da saúde mental. Diversos profissionais, incluindo o psicólogo Wadson Arantes e a gerente de saúde mental da Secretaria de Estado da Saúde, Nathalia dos Santos Silva, discutiram a necessidade de políticas públicas eficazes para o combate ao suicídio. Foram apresentados dados alarmantes sobre o índice de crises de ansiedade, depressão e suicídio no Brasil, reforçando a importância de debater e implementar ações preventivas.

Escola do Legislativo

Durante toda a semana, a Escola do Legislativo da Casa esteve em plena atividade, oferecendo cursos e capacitando servidores, além de receber visitas de alunos de escolas locais. Na tarde da segunda-feira, 18, a Escola de Governo e a Escola do Legislativo promoveram um curso de operacionalização básica do Sistema de Logística de Goiás (Sislog). Essa ferramenta, que já opera no Executivo estadual, visa tornar mais eficiente o processo de compras públicas, alinhado com a nova Lei de Licitações. O curso foi ministrado por especialistas da Secretaria de Administração e adaptado às necessidades da Alego.

Além disso, servidores das diretorias Financeira e Adjunta Financeira da Alego participaram de um curso sobre a plataforma governamental “Business Objects”. Essa ferramenta, desenvolvida para consolidar informações financeiras, orçamentárias e contábeis do Estado, foi ministrada pelo professor Mário Mendes Barbosa Jr. e proporciona a elaboração dinâmica de relatórios. O curso visa capacitar os servidores para utilizar essa plataforma de forma eficiente.

Na terça-feira, 19, teve início o curso de Cerimonial e Protocolo, com quatro encontros presenciais. O objetivo é preparar os servidores para a organização de eventos internos e externos, com foco na qualidade e segurança. O curso é uma resposta à demanda dos gabinetes parlamentares e conta com a liderança do professor Antônio José de Miranda, coordenador do curso Tecnológico de Eventos da PUC-Goiás.

Na sexta-feira, 22, a Escola do Legislativo deu início à realização do curso “Avaliação Ergonômica”, voltado para os servidores vinculados à Diretoria de Saúde e Meio Ambiente do Trabalho. O curso, que ocorre via software Microsoft Teams, aborda mudanças na Norma Regulamentadora de Ergonomia (NR 17) e a contribuição da ergonomia nas condições de trabalho. A professora Mirela Cobra foi responsável pela capacitação.

Além dos cursos, a Escola do Legislativo recebeu alunos de escolas locais. Na terça-feira, os estudantes do Colégio Goyases participaram do projeto Escola do Legislativo, que busca educar sobre cidadania e política. Os alunos conheceram as dependências da Assembleia Legislativa e participaram de palestras educativas.

Na quinta-feira, o projeto Escola no Legislativo recebeu os alunos do Colégio Estadual da Polícia Militar Dr. César Toledo e do Colégio Nova Vida, que também tiveram a oportunidade de conhecer a história do Poder Legislativo e discutir temas relacionados aos direitos humanos e à democracia.

Eventos

Na semana que se encerrou, o Parlamento goiano foi palco de atividades que marcaram a agenda política e cultural do Estado. Um dos eventos de maior destaque foi o lançamento do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC), que reuniu autoridades e lideranças políticas do Estado.

O presidente Bruno Peixoto recebeu os ministros da Casa Civil, Rui Costa, e de Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França, juntamente com o governador Ronaldo Caiado, para apresentar as obras prioritárias que receberão investimentos de R$ 98 bilhões destinados ao Estado de Goiás. O Novo PAC prevê um total de R$ 1,7 trilhão em investimentos públicos e privados, com foco na geração de emprego e renda, redução de desigualdades sociais e aceleração do crescimento econômico.

Entre as obras prioritárias destacadas, estão a construção do Hospital do Câncer, o BRT ligando as cidades do entorno a Brasília e a construção de mais de 8 mil moradias pelo Programa Minha Casa, Minha Vida. Além disso, o programa contempla investimentos em urbanização de favelas, abastecimento de água, esgotamento sanitário, mobilidade urbana, prevenção a desastres naturais, unidades básicas de saúde, escolas, ônibus escolares, centros de artes e esportes unificados, patrimônio histórico e espaços esportivos comunitários.

O governador Ronaldo Caiado destacou a atenção dada pelo Ministério às prioridades do Estado, incluindo a ampliação de policlínicas, penitenciárias de segurança máxima e obras rodoviárias importantes. O ministro da Casa Civil, Rui Costa, enfatizou a parceria público-privada como uma das bases do programa, que inclui projetos de concessão de rodovias, portos, aeroportos e unidades de saúde.

Além do lançamento do Novo PAC, a Alego também sediou a Semana de Luta da Pessoa com Limitação Funcional, em parceria com o Movimento Fadas. O evento contou com apresentações artísticas, palestras e rodas de conversa sobre acessibilidade, educação, direitos e desafios sociais e políticos enfrentados por pessoas com deficiência.

Outros eventos importantes ocorreram, na Alego, ao longo da semana, como a exposição cultural “Resgate: Liberdade em Cores” da artista plástica Carla Neves, a pré-estreia do média-metragem “X-9” da Weston Filmes, o debate sobre os direitos das pessoas com deficiências não visíveis, o Almoço Cultural com o grupo musical Miaêro, e a instalação do Parlamento Jovem Goiás, programa de formação política para estudantes universitários.

Para encerrar a semana, a dupla de humoristas Nilton Pinto e Tom Carvalho foi homenageada com a Medalha do Mérito Pedro Ludovico Teixeira em reconhecimento à sua carreira de 30 anos, que tem divulgado o nome de Goiás pelo Brasil. O espetáculo “30 anos de humor” encerrou a noite com muitas gargalhadas e emoção.

Dra. Zeli propõe que pessoas com diabetes tenham prioridade na realização de exames que exijam jejum

*Dra. Zeli propõe que pessoas com diabetes tenham prioridade na realização de exames que exijam jejum*

A deputada estadual Dra. Zeli (União Brasil) propõe por meio do projeto de lei *nº 697/23*, que pessoas com diabetes mellitus tenham prioridade para realizarem exames na rede pública e privada de saúde. Segundo a proposta, a prioridade é válida na realização de exames que sejam exigidos jejum prévio, coletas de sangue e ultrassonografia do abdômen. A medida, que abrange todo o território goiano, está em tramitação na Assembleia Legislativa (Alego).

Para conseguir o atendimento preferencial, o paciente precisa informar a condição ao estabelecimento no ato do agendamento dos exames. A pessoa precisa comprovar tal condição no momento do atendimento, mediante apresentação de laudo médico, documento médico equivalente ou exame que comprove a patologia.Na justificativa da propositura, a deputada ressalta que a prevalência da diabetes mellitus no Brasil é de cerca de 7,5% da população, o que significa que o país tem mais de 15 milhões de diabéticos. Ela lembra que as pessoas com a doença podem ter sintomas, como mal-estar, visão turva, sudorese, fome intensa, taquicardia e alteração do nível deconsciência, quando submetidas a várias horas de jejum.

Por conta da potencial gravidade de hipoglicemia, a parlamentar afirma que faz-se necessário proteger a saúde das pessoas com diabetes e torná-las prioridade no atendimento de saúde é uma das ações em prol destes pacientes.O projeto de lei está em tramitação na Alego. Caso seja aprovado, vai a sanção do governador Ronaldo Caiado.

EM TRAMITAÇÃO: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA NOVA JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES DOS ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO DE VALPARAÍSO

EM TRAMITAÇÃO: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA NOVA JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES DOS ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO DE VALPARAÍSO

Entenda o trabalho dos Órgãos de Fiscalização Municipal:

A Superintendência dos Serviços de Fiscalização Municipal (SUSFIM), tem como prerrogativa fiscalizar o cumprimento das obrigações legais, tanto de pessoas físicas como jurídicas, além disso, apresenta um caráter coercitivo e ao mesmo tempo educativo e preventivo, de orientação aos profissionais, empresas e outros segmentos sociais sobre a legislação do município. Integram a Superintendência as divisões de Vigilância Sanitária, Meio Ambiente, Posturas, Obras e Licenciamento.

Outros projetos apresentados

Projeto de Lei de autoria da vereadora Professora Elenir – Institui no calendário Municipal, junho, o mês dedicado às pessoas que nasceram na cidade de Valparaíso de Goiás.

Junho é mês que se comemora o aniversário de emancipação, e por isso, será promovido ações festivas dedicadas às pessoas que nasceram em maternidade no Município, evidenciando o despertar àqueles que têm berço valparaisense.

Projetos aprovados

– Segunda e última discussão e votação do Projeto de Lei de autoria da vereadora Maria do Monte, que autoriza o Poder Executivo a instituir a instalação de detectores de metais em estabelecimentos de ensino.

– Segunda e última discussão e votação do Projeto de Lei de autoria do poder executivo, que dispõe sobre o Sistema Municipal de Promoção das Políticas da Igualdade Racial.

Indicações

Vereadora Maria do Monte:

Recapeamento asfáltico em rua do bairro Anhanguera A;

Troca de lâmpadas comuns por lâmpadas de LED em rua do bairro Anhanguera A.

Vereador Alceu Gomes:

Construção ou aluguel de um local para instalação de Unidade de Saúde no bairro Ipiranga A;

Instalação de câmeras de segurança no bairro Cruzeiro do Sul.

Vereador Zequinha:

Troca de lâmpadas comuns por lâmpadas de LED em rua do bairro Jardim Céu Azul.

Clique AQUI e confira a sessão na íntegra!

Veja todas as fotos AQUI.

Câmara de Valparaíso de Goiás

Mais Conectada com Você

Assessoria de Comunicação da Câmara de Valparaíso de Goiás

Texto: Juliana Gentila

Fotos: Cleben Lopes

Deputada Dr. Zeli solicita implantação de Delegacias Especiais em Defesa da Mulher nos municípios de Cristalina de Goiás e Cidade Ocidental

Deputada Dr. Zeli solicita implantação de Delegacias Especiais em Defesa da Mulher nos municípios de Cristalina de Goiás e Cidade Ocidental

Parlamentar destacou seu trabalho em prol da defesa dos direitos das mulheres

A deputada estadual Dra. Zeli (União Brasil) solicitou, por meio de requerimento, a implantação Delegacias Especiais em Defesa da Mulher (Deam) nos municípios de Cristalina de Goiás e Cidade Ocidental.

De acordo com a parlamentar, a implantação das delegacias tem o objetivo de reduzir os índices de violência doméstica e familiar contra a mulher. As unidades a serem criadas vão fortalecer a atuação das DEAMs nos municípios de Cristalina de Goiás e Cidade Ocidental, garantindo mais segurança às mulheres que são vítimas de violência doméstica e infelizmente de feminicído.

“Essa é uma das causas que irei trabalhar com bastante dedicação porquê essa tragédia que vem acontecendo com às mulheres do país precisa ter um fim, são mães, filhas, mulheres que morrem apenas pelo fato de que não querem estar mais em um relacionamento, por motivos extremamente banais, isso tem que acabar e eu estou e sempre estarei lutando por essa importante causa”, afirmou a deputada.

Pesquisa sobre a violência contra a mulher

O Brasil teve um aumento de 5% nos casos de feminicídio em 2022 em comparação com 2021, aponta levantamento com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. São 1,4 mil mulheres mortas apenas pelo fato de serem mulheres – uma a cada 6 horas, em média. Este número é o maior registrado no país desde que a lei de feminicídio entrou em vigor, em 2015.

A alta acontece na contramão do número de assassinatos sem o recorte de gênero, que foi o menor da série histórica do Monitor da Violência e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Com 40,8 mil casos, o país teve 1% menos mortes em 2022 que em 2021.

Drª Zeli da mais um passo para garantir a segurança e proteção das mulheres

Drª Zeli da mais um passo para garantir a segurança e proteção das mulheres

Na sessão desta quarta-feira (31/05) a Deputada Drª Zeli, apresentou, na sessão da ALEGO, requerimentos dirigidos ao Poder Executivo solicitando a implantação de Delegacias Especializadas em Atendimento à Mulher (Deam) nos municípios de Cristalina e Cidade Ocidental.
Um levantamento revelou que essas cidades carecem desse tipo de serviço. Por isso, é de extrema importância unirmos esforços para que nosso pedido seja atendido e as mulheres em situação de vulnerabilidade possam sentir-se protegidas e encorajadas a prosseguir com suas denúncias.
A denúncia é fundamental no combate à violência contra a mulher, e é nosso dever, como representantes da população, garantir que todas as mulheres tenham acesso a um atendimento digno e efetivo. “Vamos juntos construir um futuro onde possamos viver livres do medo e da violência” explicou a parlamentar.

Zeli Fritsche

Pautada pela sustentabilidade, Alego promove 5ª edição do projeto Virada Ambiental

*Pautada pela sustentabilidade, Alego promove 5ª edição do projeto Virada Ambiental*

_Com o total respaldo do presidente da Casa, deputado Bruno Peixoto, iniciativa idealizada pela Comissão do Meio Ambiente e Recursos Hídricos prevê o plantio de milhares de mudas nativas do cerrado em todos os municípios goianos_

Reforçando sua pauta sustentável e em atenção ao cuidado com a natureza, a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), através da Comissão do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, presidida pela deputada Rosângela Rezende, lança no próximo dia 05 de junho, às 9h30, no auditório Carlos Vieira do Palácio Maguito Vilela, a 5ª edição da Virada Ambiental. O projeto, que tem como ação principal o plantio de mil mudas nativas do cerrado nos 246 municípios goianos, conta com o total apoio do presidente da Casa, deputado Bruno Peixoto.

Ressaltando a importância da iniciativa, o líder do Poder Legislativo destacou que o projeto vai diretamente ao encontro de uma de suas prioridades de gestão, que é justamente a pauta sustentável. “Junto aos demais parlamentares, estamos trabalhando diariamente para reforçar as nossas ações sustentáveis e esse projeto, muito bem coordenado pela nossa deputada Rosângela, vem nos auxiliar nesse sentido. Além de contribuir para a preservação do nosso bioma, a Virada Ambiental também faz um alerta importante sobre o cuidado com o meio ambiente, sobretudo, diante de todos os danos ambientais tão presentes nestes últimos anos”, enfatizou Bruno Peixoto.

Presidente da Comissão do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, a deputada Rosângela Rezende salientou que o projeto visa alcançar todo o estado de Goiás, bem como estimular na sociedade a necessidade da preservação do meio ambiente. “Entendo que o Centro-Oeste precisa despertar urgentemente para as questões ambientais, as preocupações com o Cerrado e as mais de 320.000 espécies que vivem nele. Queremos deixar a marca do Virada por todo o estado para estimular a valorização e preservação da natureza, garantindo que o ato do plantio provoque uma mudança não só física, mas também social na comunidade com a mudança de pensamento”, explicou.

*Projeto Virada Ambiental*

Inicialmente, o evento idealizado pela Universidade Federal de Goiás (UFG) tinha como foco a neutralização das emissões de carbono, mas passou por uma expansão em 2019 com a Lei Estadual nº 20.552, do deputado Lucas Calil, que institui no Calendário Estadual o Dia da Consciência Ambiental, comemorado em 22 de novembro, data em que o plantio é tradicionalmente realizado.

Nesta edição, a doação das 246.000 mudas será realizada por diversas instituições incluindo a Saneago (Saneamento de Goiás), a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (SEMAD), a UFG, o Instituto de Desenvolvimento Econômico e Socioambiental (IDESA), a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (EMATER), a Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc), a Saga Moto, o Sistema OCB/GO e vários viveiros municipais, que reunirão esforços para promover o plantio e fornecer orientações técnicas.

*Concurso Fotográfico Yocihar Maeda*

Apesar de ser a ação principal do Virada Ambiental, o plantio de mudas não é a única estratégia para a promoção de uma consciência ambiental coletiva. Na programação do evento, está previsto o lançamento do edital de inscrições do 4º Concurso Fotográfico Yocihar Maeda, cujo tema é “Cerrado – O berço das águas”. O desafio proposto aos participantes é capturar as belezas do Cerrado goiano, visando promover a valorização da natureza e a conscientização sobre a importância da preservação do bioma.

*Parcerias*

Outras parcerias que estão com o projeto este ano também farão parte desse resgate cultural. A Associação Caminho de Cora Coralina (ACCC), sediada em São Francisco de Goiás, que faz a manutenção de uma trilha de 300 quilômetros de extensão, perpassando oito municípios, estará presente no lançamento com a exibição de um documentário autoral e falando sobre o objetivo de promover o desenvolvimento social e crescimento econômico das comunidades, despertando consciência ambiental, cultural e social por todos que percorrem o Caminho.

No dia evento, no saguão da Assembleia Legislativa, a Cooperativa Bordana, coletivo de bordadeiras de Goiás que apoia e empodera mulheres através do artesanato e fomenta a valorização da biodiversidade do Cerrado, fará uma exposição de suas peças que exaltam a flora e a fauna do bioma. A Saneago, o Sistema OCB/GO e parceiros da agricultura familiar também farão exposições sobre sustentabilidade e preservação do meio ambiente.