Seja bem-vindo. 26 de fevereiro de 2024 14:51
Previous
Next

A Vice-prefeita Ana Lúcia da cidade de Luziânia-GO, não é visto há meses no meio político, mesmo assim não renúncia ao cargo a ser alvo sistemático de denúncias

A Vice-prefeita Ana Lúcia da cidade de Luziânia-GO, não é visto há meses no meio político, mesmo assim não renúncia ao cargo a ser alvo sistemático de denúncias

Ausência da vice-prefeita gerou investigação do Ministério Público sobre os possíveis favorecimentos pessoais para entender como agente político da cidade tem sido conduzida – e seu cargo e por quem. Ana é rompido com o prefeito Diego Sorgatto e não passa o cargo, mesmo com meses de ausência do governo municipal.

Esta ausência, porém, não é novidade. A última vez que Ana Lúcia, de 44 anos, foi visto em público em evento institucional há meses, portanto, há uma preocupação com sumiço da vice. Desde então, Ana não aparece em compromissos oficiais nem promove audiências com vereadores ou aliados. Há uma suspeita que seu sumiço levou o Ministério Público a abrir um processo administrativo para investigar o caso de possível fura fila, após denúncias de moradores.

Apesar desses rumores, a vice-prefeita não renunciou seu cargo eletivo ou licença e seus assessores garantem que Ana Lúcia a está cumprindo plenamente suas funções de vice-prefeita do Executivo do município de 209.129, mil habitantes, um polo regional agropecuário.

“Esses rumores já são de muito tempo, no ano passado já existiam rumores de que ela não tava bem, e para falar bem a verdade ninguém o via aqui pela cidade não”, afirmou ao nosso veículo um morador do Distrito Jardim Ingá, que não quis se identificar. “Desde janeiro, a gente já vê com uma força maior e esse falatório de que ele não tá bem na cidade, de que surgiu essas denúncias, que pode ser o fim político dela”, completa.

Enquanto isso o cidadão (a), paga o salário da vice-prefeita com dinheiro público, fica pergunta além de ser alvo de denúncias que Ana Lúcia fez por Luziânia? Aguardem o próximo capítulo desta novela.

Vídeo: Diretora Ana Lúcia pode responder por suposto crime de corrupção ativa em possível esquema de fura fila de cirurgias

 

Mais uma grave denúncia recai sobre os ombros da ex-vereadora Diretora Ana Lúcia envolvendo possível crime de corrupção. Em junho deste ano ela foi acusada de praticar o crime de rachadinha com dinheiro público oriundo do gabinete de um deputado federal. Desta vez, a suspeita é de pagamento a funcionários públicos para furar filas de cirurgias em hospitais no Entorno e em Goiânia.

A denúncia parte de duas mulheres que foram até seu gabinete na busca por cirurgias do coração. As duas contam que Ana Lúcia afirmou que conseguiria ajudá-las, segundo elas, que para isso precisariam pagar valores entre R$ 3.500 e R$ 4 mil reais pelos procedimentos.

Uma das mulheres, que é viúva e tem 5 filhos, ficou indignada com a cobrança, primeiro porque era um valor que ela não poderia pagar, e depois pelo talvez meio ilegal encontrado pela vice-prefeita para ajudá-la: “achei isso um absurdo. Não é justo ela cobrar da gente, algo que é da gente”, afirmou a mulher que não quis se identificar.

A suspeita é de que o crime seja praticado também em outros municípios do entorno onde a ex-vereadora pode possuir contatos políticos. O Ministério Público já foi acionado e a vice-prefeita pode responder possivelmente por corrupção ativa, a lei diz (que é quando se oferta a funcionário público valores para que pratique ato ilícito), inserção de dados falsos em sistema de informação e associação criminosa.

Como funciona o esquema já degradada em outras cidades

Em uma operação da Polícia Civil em fevereiro deste ano, um grupo criminoso foi preso suspeito de receber até R$ 5 mil de pacientes para serem inseridos e furar a fila de cirurgias na rede pública de Goiás. Entre eles estava um ex-prefeito de Teresina de Goiás e um vereador de São Miguel do Araguaia. Procedimentos que não eram considerados urgentes e que demorariam até dois anos foram autorizados e feitos em poucos meses.

Na época, o delegado responsável pela investigação, Danilo Victor Nunes, explicou que os políticos investigados atuavam como intermediadores no esquema. “Geralmente o paciente pagava para eles e aí essa pessoa providenciava, junto a um operador do sistema, para que inserisse as pessoas”, disse.

Ainda de acordo com essas investigações, os servidores envolvidos eram pessoas do Complexo Regulador Estadual ou exerciam funções públicas nas unidades de saúde dos municípios.

Em resumo, o dinheiro cobrado pelos políticos era usado para pagar propina para os servidores públicos para que furassem a fila de cirurgias na rede pública de Goiás.

Nosso veículo de comunicação entrou em contato com a vice-prefeita Ana Lúcia que foi acusada pelas mulheres do vídeo, para sabermos qual seria a versão da Diretora sobre essas denúncias a qual ela é acusada. Mas até o fechamento da matéria não tivermos retorno.

Denúncia grave: Vice-prefeita Ana Lúcia é acusada de “rachadinha”, escândalo esse que poderá ter a cassação de seu mandato

Denúncia grave: Vice-prefeita Ana Lúcia é acusada de “rachadinha”, escândalo esse que poderá ter a cassação de seu mandato

A denuncia foi feita na edição (13), do jornal Goiás Agora da PucTV. De acordo com o apresentador do telejornal, a vice-prefeita praticou os possíveis atos criminosos que está sendo investigada pela pelo crime de “rachadinha”, modalidade de corrupção onde o político fica com parte do salário dos funcionários.

Ao tentar justificar sua defesa, Ana Lúcia alegou que é o deputado federal Glaustin Da Fokus o responsável pelos recursos para pagamento dos funcionários de seu gabinete. No entanto, a ex-vereadora é acusada por uma de suas ex-colaboradoras de não repassar todo o valor aos funcionários. De acordo com o apresentador do programa, Messias da Gente, Ana diante do escândalo negou todas as acusações.

Art. 312 – Apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio: Pena – reclusão, de dois a doze anos, e multa.

Na mesma linha de situação, esses crimes são semelhantes ao peculato, que na verdade a definição dessa categoria está relacionada ao furto, que é quando o servidor público furta algo para proveito próprio ou alheio, também por conta das facilidades do seu cargo. Então, por exemplo, se o funcionário subtrair um computador para si, ele está praticando o peculato-furto do dinheiro público.

Exemplo disso, uma decisão unânime do Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), publicada na última quinta-feira (9), definiu que a prática de “rachadinha” – a apropriação de parte do salário de servidores pelos políticos que os nomearam – configura enriquecimento ilícito e dano ao patrimônio público.

Com a decisão, Maria Helena Pereira Fontes (PSL), candidata a vereadora do município de São Paulo (SP) em 2020, teve o registro de candidatura cassado e foi condenada à inelegibilidade por oito anos. O relator do processo foi o ministro Alexandre de Moraes.

A candidata foi processada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) por ter, desde janeiro de 1997, obrigado funcionários comissionados a entregar para ela parte da remuneração que recebiam, sob pena de exoneração. De acordo com o órgão, com a prática ilícita da “rachadinha”, a política teria acumulado R$ 146,3 mil em vantagem patrimonial.

O Projeto de Lei 338/21 torna ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito exigir, solicitar, receber ou reter, para si ou para outra pessoa, direta ou indiretamente, no exercício da função pública e em razão dela, parte ou a totalidade de remuneração de agentes públicos.

Na ocasião, chegou ao conhecimento de nossa redação, que o jornalista afirmou que o namorado da vice-prefeita ligou para o jornal citado no começo da nossa matéria, o mesmo fez ameaças ao profissional, que cogitou a possibilidade de abrir um boletim de ocorrência caso a conduta criminosa continuasse. Conduta essa Brasil, baseada nos princípios constitucionais, devemos interpretar isso como uma sensura seguida de ameaça que ambos podem sim de fato se enquadra como crime por parte do parceiro da vice-prefeita Ana Lúcia .

Apoio só veículo de comunicação

Nosso veículo de comunicação População Ativa, e colegas da imprensa, declara apoio de total. Repudiamos as ameaças contra a jornalista “É absolutamente inadmissível, que uma repórter, exercendo sua profissão, seja covardemente ameaçado por uma pessoa ligada a vice-prefeita ”, escreveu o integrante do site População Ativa.

Vídeo mostra crianças e adolescentes tomando banho em caixa d’água da Saneago, em Valparaíso de Goiás

Vídeo mostra crianças e adolescentes tomando banho em caixa d’água da Saneago, em Valparaíso de Goiás

Um vídeo flagrou crianças tomando banho em uma das caixas d’água próxima ao Clube do Vicente, na Rua “A”, QD 24, Condomínio São Marcos, 3° etapa do bairro Jardins Céu Azul, Valparaíso de Goiás . Elas estavam no alto da estrutura, que tem pelo menos três metros de altura.

A prefeitura informou que na época de férias escolares, a vigilância não fica nas escolas em tempo integral.

As imagens foram gravadas pelo morador do bairro, Nilson, que ficou preocupado com a situação. Nas imagens é possível ver as crianças entrando e saindo da caixa d’água o tempo todo. Em outro momento, elas escalam a escadas e pulam na água, aumentando a altura do salto.

O morador do bairro, Genesio, utilizou as redes sociais para denunciar a situação. “ eles entram todos os dias, não tem uma pessoa da empresa para fiscalizar; essa água que fornece a distribuição para nós moradores que dependemos desta água. Isso é se esta água já não estiver contaminada por urinas dos mesmos… isso é perigoso para as crianças que pode causar uma tragédia, e também para saúde nossa de moradores da região”, lembrou.

O outro morador foi além. Segundo Nilson, nesta caixa que fica localizada no chão, crianças e adolescentes invadindo a área e estão tomando banho. “Nesta caixa tem gente tomando banho praticamente todos os dias, está tendo guarda somente durante o dia, no período da noite a mulecada toca o terror! Somente hoje (10/05), a equipe de funcionários da Saneago foram la e cortaram as escadas, más tem quer ser feito a vistoria para saber se água que utilizamos não está suja”, concluiu.

Nossa equipe entrou em contato por via WhatsApp com gerente da Saneamento de Goiás S/A( SANEAGO) em Valparaiso, José Mário Cavalcante, o População Ativa pediu um posicionamento da empresa pública sobre o assunto, más não teve retorno até a última atualização desta reportagem.

Com 33 processo nas costas quando foi prefeita de Valparaíso,  Lêda Borges é questionada pelos moradores de Valparaíso, onde estão as emendas parlamentares para a infraestrutura do município?

Com 33 processo nas costas quando foi prefeita de Valparaíso,  Lêda Borges é questionada pelos moradores de Valparaíso, onde estão as emendas parlamentares para a infraestrutura de Valparaiso?

Há 8 anos como Deputada Estadual representando o município de Valparaíso na ALEGO e agora como Deputada Federal e envolvida em diversos processos judiciais, Leda Borges é questionada pelos moradores de Valparaíso, onde estão as emendas parlamentares para a infraestrutura de Valparaiso?

Os moradores de Valparaíso de Goiás, a 36 quilômetros de Brasília, nesta quarta-feira (22) com uma forte chuva de cerca de 20 minutos sofreram em diversas ruas da cidade que tem baixa cobertura de redes de drenagem que acabaram transbordando e se transformaram em corredeiras, levando riscos e prejuízo para os moradores fato esse que ocorre antes mesmo de emancipação de Valparaíso de Luziânia.

Valparaiso teve uma deputada estadual por 8 anos que hoje se encontra como deputada Federal, porém, Valparaiso não consta como município recebedor de suas emendas parlamentares para infraestrutura que tanto precisa, nas redes sociais ele disse que seu gabinete está sempre aberto para receber todos, mas cabe lembrar que o parlamentar pode ter iniciativa quando percebe o sofrimento de seu povo e contribuir na infraestrutura.

Um dos bairros mais afetados, é o Setor de Chácaras Anhanguera, que faz parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de R$ 116 milhões, capitado por Lêda Borges ainda quando era prefeita, mas não foi realizado por ela ou a prefeita seguinte, Lucimar. No governo de Pábio Mossoró após muito trabalho foi possível realizar um empréstimo de 70 milhões de reais para a retomada das obras de infraestrutura desse bairro. Em conversa com morador do bairro ele nos disse que está cansado dessa história de PAC ser usada como melzinho pra tentar adoçar o povo, que desde a época de Marconi como Governador e Leda Prefeita e após secretária de estado esse PAC não é concluído e ainda hoje é usado como arma política para justificar erros de gestões passadas e como a de Leda Borges no setor de chácaras.

Em uma pesquisa sobre as atuais emendas da Deputada, pode se conferir que em maior evidência e volume outros municípios goianos que tem recebido como Cidade Ocidental e Novo Gama são contemplados com bastante dinheiro em forma de emenda para infraestrutura, enquanto Valparaíso em principal o Setor de Chácaras somente o PAC de quando ela era prefeita, há mais de 10 anos.
A redação entende que a deputada Lêda e deputada do estado do Goiás porém sua maior base eleitoral é em Valparaiso aonde não se nota investimento dela na infraestrutura. Acreditamos que o povo deve estar acima de qualquer desavença política de deputado contra prefeito.

Após recomendação do MP, sobrinho de Secretário Antônio Reis é exonerado do cargo de Assessor Técnico Administrativo em Valparaíso

Após recomendação do MP, sobrinho de Secretário Antônio Reis é exonerado do cargo de Assessor Técnico Administrativo em Valparaíso

O sobrinho de um dos mais influentes secretários da gestão municipal de Valparaíso, Antônio Resid Secretário de Desenvolvimento Econômico, acaba de ser exonerado da administração pública municipal. Ele foi exonerado depois de investigação por nepotismo aberta pelo Ministério Público do Estado de Goiás.

Denúncias chegadas ao Ministério Público do Estado de Goiás (MP/GO), por meio de terceiros, que resultaram na e acusando-o constatação de nepotismo praticado pelo Secretário Antônio Reis, e recomendação da promotora de Justiça, Oriane Graciani de Souza, para que o secretário municipal de Gestão Pública, e seu sobrinho, fosse desligado. O pedido da Promotoria de Justiça de Oriane Graciani foi acatado pelo Prefeito de Valparaíso Pábio Mossoró, exonerado, conforme demonstra a cópia do decreto nº 039, datada de 23 de Janeiro 2023.

Artigo 1°, a exoneração de Luiz Henrique da Silva Souza, do cargo em Comissão de Assessor Técnico Administrativo, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

Nepotismo

O Nepotismo ocorre quando um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes. O nepotismo é vedado, primeiramente, pela própria Constituição Federal, pois contraria os princípios da impessoalidade, moralidade e igualdade. Algumas legislações, de forma esparsa, como a Lei nº 8.112 de 1990 também tratam do assunto, assim como a Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal.

“A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade,
até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa
jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo
em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública
direta e indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição
Federal.”

Na íntegra

(transcrevo a r. recomendação)

CONSIDERANDO

Chegou ao conhecimento desse órgão a notícia de suposta situação de nepotismo no âmbito do Poder Executivo local, consistente na nomeação e manutenção de Luis Henrique Da Silva Souza, sobrinho por afinidade do atual Secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Sr. Antônio Reis da Silva Filho, no cargo comissionado de Assessor Técnico
Administrativo – SMDET;

Considerando que em oitiva realizada no gabinete da 3ª Promotoria de Justiça, no bojo dos
autos extrajudiciais nº 202200443007, o atual Secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Sr. Antônio Reis da Silva Filho confessou a manutenção de união estável pública e duradoura com a Sra. Iraci Fagundes, tia de Luis Henrique Da Silva Souza; que este órgão expediu a recomendação nº 002/2017 endereçada ao Prefeito Local, Vereadores e Secretários Municipais recomendando que se abstivessem de contratar, mesmo em casos excepcionais de dispensa ou inexigibilidade de licitação, pessoas com quem tenham algum vínculo de parentesco considerando que a Suprema Corte, sobretudo após argumentos trazidos pelo eminente Min.Dias Toffoli, redefiniu contornos em relação ao tema e passou a entender que a incompatibilidade da prática enunciada na Súmula Vinculante no 13 com o art. 37, caput, da CF/88,
não decorre diretamente da existência de relação de parentesco entre pessoa designada e um
servidor público, mas da presunção de que a escolha de pessoa para ocupar cargo de direção, chefia ou assessoramento tenha sido direcionada a pessoa com relação de parentesco com quem tenha potencial de interferir no processo de seleção;

Resolve, a fim de que no futuro não se alegue ignorância quanto à extensão dos efeitos e
ilegalidade dos atos.

RECOMENDAR

Ao atual Secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, que
1. Promova, no prazo de cinco dias do recebimento da presente, a imediata exoneração de Luis Henrique Da Silva Souza do cargo comissionado que ocupa; se abstenha de realizar novas nomeações que envolvam pessoas com quem possua parentesco consanguíneo, em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, bem como com parentesco com qualquer Secretário Municipal ou de servidor já ocupante de cargo em comissão da Administração Municipal, sob pena de improbidade administrativa.
Caso acolha a recomendação, que sejam encaminhadas a este Órgão Ministerial, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, contados do recebimento desta, informações acerca das providências adotadas, com o respectivo ato de exoneração do servidor escolhido para deixar o cargo em comissão.

Por fim, cabe advertir que a inobservância da Recomendação Ministerial poderá ser entendida
como dolo em caso de necessidade das providências judiciais pertinentes.
Movimento 27 – Recomendação 2022008940177 – Assinado eletronicamente por Oriane Graciani de Souza, em 16/12/2022.

Após serem divulgados nas redes sociais a exoneração do Sobradinho do Secretário venho a reação de membros do próprio governo, como de Regivan Viana, sem contar os inúmeros servidores da pasta que estão insatisfeito com o tratamento do secretário com os mesmos… a secretaria de desenvolvimento tem ficada em uma situação insustentável entre o atualSecretário e os servidores, polêmica e divergências dividem a pasta. Veja que o pastor Regivan escreveu, o mesmo que já foi do Procon, ” Deus desfez o grupo do Sr Antônio Reis, e hoje estava me lembrando quando ele me pegou pelo o braço pra me jogar fora da secretaria e gritou EU NÃO TENHO MEDO DO SEU DEUS, é olha que meu Deus já começou a trabalhar aguentar o que vem sr Antônio Reis, desista de ser candidato a prefeito pois a vergonha será enorme” fecha o ex-candidato a Vereador .

Nossa equipe não conseguiu contato com Secretário Antônio Reis nem seu sobrinho até o fechamento da matéria.

Homem é preso por se masturbar de camisola em Novo-Gama 

Homem é preso por se masturbar de camisola em Novo-Gama

O homem foi enquadrado no artigo 215-A do código penal, segundo o qual é considerado crime “praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”

Um homem, que não teve a identidade revelada, foi preso em flagrante no domingo (8/1) por se masturbar em público no município do Novo Gama, localizado no Entorno do Distrito Federal. O indivíduo, que estava vestido com uma camisola vermelha, foi visto primeiro por uma mulher que passava pelo local. Ela se assustou com a cena e gritou. As informações são do telejornal local DF Alerta, da TV Brasília.

Em seguida, outros moradores chegaram até a via pública e houve uma tentativa de linchamento quando o homem tentou fugir. No entanto, a guarda municipal foi acionada, evitou a agressão e encaminhou o indivíduo para as autoridades policiais.

Ele foi enquadrado no artigo 215-A do Código Penal, segundo o qual é considerado crime “praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”. A lei prevê pena de 1 a 5 anos de reclusão. O homem aguarda a audiência de custódia.

Casa de prostituição com cartaz de “não incomode” é investigada, em Valparaíso

A Polícia Civil cumpriu, nesta quarta-feira (21), mandado de busca e apreensão para apurar possíveis crimes de exploração sexual de menores em uma casa de prostituição, em Valparaíso de Goiás, região do Entorno do Distrito Federal. No local havia um cartaz cor de rosa de ”não incomode”.

De acordo com a corporação, durante a realização das buscas, foi constatado que a residência era, realmente, utilizada para fins de prostituição, sendo que a proprietária tinha ciência e, inclusive, quando realizou o contrato, determinou que as profissionais do sexo colocassem um cartaz cor-de-rosa para que os clientes não incomodassem os vizinhos da localidade.

Não foram encontrados menores no estabelecimento, estando apenas duas jovens que confirmaram serem garotas de programas e que já exerciam o trabalho no local há um longo período. A proprietária também não estava no local para a lavratura do procedimento coercitivo cabível.

A informação chegou ao conhecimento desta unidade policial através de denúncia anônima, sendo confirmada que a casa residencial era utilizada para fins de prostituição, fato que estava causando vários transtornos e constrangimentos aos demais moradores da região.

350 cães e gatos vivem em situações precárias em Valparaíso

350 cães e gatos vivem em situações precárias em Valparaíso

Moradores da região denunciaram ao Ministério Público de Goiás o sofrimento de animais que se encontram em situação de Rua e estão em Centro de Controle de Zoonoses do município do Entorno.

Após serem resgatados do Abrigo Gatil de Luz e Violeta, no dia 21 de outubro de 2022, 350 cães e gatos foram levados até o Centro de Controle de Zoonoses de Valparaíso (GO). Porém, com a chegada de centenas de animais, o local, que não tinha estrutura capaz de comportar tantos pets, deixou a situação dos bichos pior, a cidade não tem um lugar para abrigar animais.

Moradores da região se sensibilizaram com as condições ruins dos gatos e cachorros que vivem no local. Um grupo  de pessoas formado pela uma frente da sociedade civil,  denunciou o caso ao Ministério Público de Goiás (MPGO), que foi notificado e relatou que a promotora que atua no caso informou que esteve reunida esta semana com o secretário de Meio Ambiente do município, para falar sobre o caso. “Ele informou estar providenciando a instalação de novas baias e espaço adequado para alojamento dos animais que foram recolhidos e que estão no centro de zoonoses. Os animais serão testados, separados os doentes dos sadios e tratados os doentes. Os animais também serão castrados” relata.

A vice-presidente da Comissão de Direitos Animais da Seccional da Ordem dos Advogados do Distrito Federal (OAB-DF), Ana Paula de Vasconcelos, explica que o Centro de Zoonoses não tem estrutura necessária para receber tantos animais dessa forma, mas que estão acompanhando o caso e formando vários grupos de voluntários para ajudar. ”Já foram retirados muitos animais, estimo que setenta gatos já saíram de lá. E cães foram em menor quantidade, acredito que uns quinze a vinte animais. Detectadas falhas e as necessidades de adequação do local, eu fiz alguns apontamentos através de um documento encaminhado ao secretário do meio ambiente a ao Ministério Público, a terceira promotoria do Valparaíso” diz.

Moradores da região se sensibilizaram com as condições ruins dos gatos e cachorros que vivem no local, nas ruas da cidade vivem em situações vulnerável   . Um grupo denunciou o caso ao Ministério Público de Goiás (MPGO), que foi notificado e relatou que a promotora que atua no caso informou que esteve reunida esta semana com o secretário de Meio Ambiente do município, para falar sobre o caso. “Ele informou estar providenciando a instalação de novas baias e espaço adequado para alojamento dos animais que foram recolhidos e que estão no centro de zoonoses. Os animais serão testados, separados os doentes dos sadios e tratados os doentes. Os animais também serão castrados” relata.

A vice-presidente da Comissão de Direitos Animais da Seccional da Ordem dos Advogados do Distrito Federal (OAB-DF), Ana Paula de Vasconcelos, explica que o Centro de Zoonoses não tem estrutura necessária para receber tantos animais dessa forma, mas que estão acompanhando o caso e formando vários grupos de voluntários para ajudar. ”Já foram retirados muitos animais, estimo que setenta gatos já saíram de lá. E cães foram em menor quantidade, acredito que uns quinze a vinte animais. Detectadas falhas e as necessidades de adequação do local, eu fiz alguns apontamentos através de um documento encaminhado ao secretário do meio ambiente a ao Ministério Público, a terceira promotoria do Valparaíso” diz.

A advogada explana que, uma vez sob tutela do Estado, um bicho precisa viver com dignidade. “Me reuni com o Ministério Público. Eles têm acompanhado também de perto, mas o importante, a partir do momento que estão sendo tratados pela zoonoses, eles estão tendo visibilidade e com isso as chances deles sobreviverem, serem encaminhados para uma família, se tornaram maiores. Ao passo que, se eles tivessem na casa do acumuladora, como isso vem acontecendo já há algum tempo, ” completa.

Ana Paula avalia que a chegada dos animais na zoonoses, apesar de não ser o local ideal, é uma possibilidade que eles têm pra serem adotados. “Todos os animais já vieram extremamente doentes do local. Eu mesma retirei nove filhotes, quatro já vieram a óbito. Não sei se nós vamos conseguir salvar os outros em razão do ambiente insalubre, desnutrição, desidratação e inúmeras doenças que eles tinham. Porém, agora, no Centro de Zoonoses, nós precisamos cada vez mais adequar o local, mão de obra, estrutura para necessidade deles. Nós estaremos sempre cobrando das autoridades envolvidas”, conclui a advogada.

Para que diminua o número de animais em situação de rua também aqui em Valparaíso é necessário uma campanha com grandes multidões de castração, ia ser um impacto sendo menor reduzindo o número de animais sem lar em nosso município.

Relatório aponta que não houve esquema de fura filas em hospital de Luziânia Ex-secretário de Saúde

Relatório aponta que não houve esquema de fura filas em hospital de LuziâniaEx-secretário de Saúde Divonei Oliveira pediu afastamento em junho deste ano depois de abertura de investigação por parte do Ministério Público.

Comissão de sindicância formada por servidores da Secretaria Municipal de Administração concluiu que não houve esquema de fura filas no Hospital Regional do Jardim do Ingá, em Luziânia, entre 1º de novembro de 2021 e 31 de maio de 2022.

O ex-secretário de Saúde, Divonei Oliveira, pediu afastamento em junho deste ano depois de abertura de investigação por parte do Ministério Público sobre áudio em que ele supostamente admitia coordenar um esquema de fura filas.

A sindicância chegou à conclusão após solicitar listagem de fila de espera e cirurgias realizadas durante o período. Chegou a constatar que nem todos os pacientes que passaram por cirurgias estavam na fila de espera. Por isso, questionou o hospital sobre a diferença.

A diretoria da unidade respondeu que quando a cirurgia é realizada se faz a exclusão da fila de espera, que as cirurgias de laqueadura são agendadas e controladas através do Planejamento Familiar. Além disso, o hospital só recebe a listagem e prontuários dos pacientes.

Ou seja, segundo o hospital, vários nomes de cirurgias já realizadas não estariam mais na lista da fila enviada e que a listagem de cirurgias de laqueadura e varizes, alvos da sindicância, ficaria em outra unidades.

Conclusão

Assim, a sindicância solicitou à Clinica de Especialidade e ao Planejamento Familiar listagem da fila de espera de ambas cirurgias. Com o envio das respostas, a Comissão de Sindicância concluiu que não houve irregularidades ou esquema de fura fila para cirurgia.

“Por ser uma quantidade mínima de prontuários não analisados, por extravio de folhas ou desorganização na recepção do paciente à fila de espera para cirurgia (..) que não era responsabilidade de apenas um servidor, sendo que cada servidor que tinha o dever de criar o prontuário e alimentá-lo com documentos necessários o fazia da forma que lhe convinha, não tendo um padrão a seguir pela Secretaria Municipal de Saúde”, conclui o relatório.

Defesa

O advogado Suenilson Saulnier Sá, que defende Divonei Oliveira, diz que o ex-secretário prefere continuar “tocando a sua vida”, permanecendo a disposição para quaisquer esclarecimentos que porventura ainda possam querer, e embora tenha sofrido bastante, por praticamente ter sido acusado, julgado, e condenado nas redes sociais, irá tratar do passado, como passado.

O defensor ainda diz que as preferências referidas nos áudios vazados diziam respeito às preferências que deveriam ser concedidas as cirurgias recomendadas pelo Ministério Público, ou as que envolvessem decisões judiciais. “Contudo, pelo seu jeito simples de se expressar, a pessoa que vazou o áudio deturpou o sentido das palavras dele”, afirma.

Fonte: Mais Goiás.