Seja bem-vindo. 29 de fevereiro de 2024 18:42
Previous
Next

Homem tem mão dilacerada ao acionar bomba achando que era rastreador , em Valparaíso

A vítima recebeu a bomba de um conhecido que o orientou a acionar um dispositivo. O explosivo causou graves lesões na mão e no peito

O guarda municipal de Goiás Kleber Pugliezzi, de 44 anos, está internado em estado grave em um hospital de Valparaíso, no Entorno do Distrito Federal, após se ferir com uma bomba caseira.

Segundo apurações preliminares, a vítima recebeu um objeto de um conhecido. Ele pegou o item acreditando que se tratava de um rastreador veicular.

Pugliezzi foi orientado pelo colega a ativar o artefato, que explodiu causando graves lesões na mão e perfurações no peito.

Acionados, os policiais conseguiram localizar e prender o suspeito em Valparaíso (GO). O caso é investigado como tentativa de homicídio.

 

PCDF: suposta bomba em posto do Colorado eram lançadores de confete

Caso foi encerrado sem pedir indiciamento de nenhum envolvido. No dia da ocorrência, em 12 de outubro, PMs disseram que se tratava de duas bombas.

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) concluiu, nesta quarta-feira (25/10), que os supostos artefatos explosivos encontrados no estacionamento de um posto de gasolina no Colorado, em Sobradinho, em 12 de outubro, eram, na verdade, lançadores de confetes, que são utilizados em festas.

Policiais civis da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco/Decor), com auxílio da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte) chegaram a ouvir dois suspeitos no inquérito policial, que confirmaram que estavam no local no momento em que a suposta bomba foi deixada, mas negaram os objetos eram feitos de material explosivo.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope), responsável por atender a ocorrência, constatou que se tratavam de duas bombas, com acionamento elétrico e potencial explosivo. No entanto, um laudo pericial elaborado pelo Instituto de Criminalística da Polícia Civil (IC/PCDF) desmentiu a informação, pontuando que se tratam apenas de lançadores de confetes.

Segundo a perícia, os lançadores de confetes já haviam sido usados antes mesmo da chegada dos policiais militares. O inquérito policial foi concluído pelo Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor) sem indiciar nenhum envolvido e foi encaminhado ao Poder Judiciário para conhecimento.

 

Pensei que era equipamento de som”, diz gerente sobre bombas em posto

Os artefatos foram encontrados na tarde de quinta-feira (12/10), em um posto de combustível, e detonados pelo esquadrão antibombas da PMDF

A bomba abandonada em um posto de combustível do Colorado, na região de Sobradinho, assustou comerciantes e funcionários que trabalhavam no local nessa quinta-feira (12/10). Por conta da operação do esquadrão antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope), o comércio precisou ser fechado e a aérea, isolada até os artefatos serem detonados .

Nesta sexta-feira (13/10) a reportagem do Metrópoles foi até o posto para conversar com os funcionários sobre o ocorrido. De acordo com o gerente do estabelecimento, que preferiu não ter o nome divulgado, por voltas das 6h os artefatos já estavam no local.

 

“A gente não suspeitou em um primeiro momento que fossem bombas. Eu, por exemplo, imaginei que eram peças de algum equipamento de som ou eletrônico que haviam descartado no estacionamento. Era só uma carcaça”, relata.

O homem disse que os objetos passaram a manhã e a tarde no local, sem que ninguém mexesse neles. “A gente viu e deixou quieto. Mas, umas 14h, quando o caminhoneiro veio abastecer o posto, ele viu um dos artefatos, achou suspeito e acionou a polícia”, conta.

 

Segundo o gerente, a proporção que a situação tomou fez com que os funcionários se preocupassem. “Começaram a isolar a aérea e pediram que todas as lojas fossem fechadas. Felizmente, era um dia de pouco movimento, o estacionamento estava vazio também. Se estivesse cheio, algum carro até poderia ter passado por cima”, comenta.

Já o funcionário de uma lanchonete do comércio comentou também ter visto os dois objetos, mas imaginou que fossem fogos de artifício.

 

“Eram tubos vazios, aparentemente só a carcaça, com fios cortados. Tem muitas festas que acontecem aqui em volta, imaginei que poderiam ser pessoas que estavam indo embora e jogaram aqui de pirraça mesmo”, relatou o funcionário.

 

 

 

 

Suspeita de bomba no Aeroporto de Brasília mobiliza a polícia

Empresa solicitou apoio da PF na tarde desta quarta-feira (11/10). As operações do aeroporto seguem normalmente

Uma suspeita de bomba mobiliza as forças de segurança no Aeroporto de Brasília, no fim da tarde desta quarta-feira (11/10).

A Inframerica, empresa responsável pela administração do terminal, solicitou o apoio da Polícia Federal após um objeto ser encontrado em uma farmácia localizada na área pública do desembarque.

Apesar do ocorrido, as operações aéreas ocorrem normalmente e não há impacto em voos no aeroporto. Ainda não há informações sobre o que seria o objeto encontrado.

Funcionários do aeroporto disseram ao Metrópoles que, a princípio, o artefato não é explosivo, mas composto por 3 baterias de lítio e um cabo. Mesmo assim, o item foi levado para a perícia