Seja bem-vindo. 14 de junho de 2024 05:31
Previous slide
Next slide

Pensei que era equipamento de som”, diz gerente sobre bombas em posto

Os artefatos foram encontrados na tarde de quinta-feira (12/10), em um posto de combustível, e detonados pelo esquadrão antibombas da PMDF

A bomba abandonada em um posto de combustível do Colorado, na região de Sobradinho, assustou comerciantes e funcionários que trabalhavam no local nessa quinta-feira (12/10). Por conta da operação do esquadrão antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope), o comércio precisou ser fechado e a aérea, isolada até os artefatos serem detonados .

Nesta sexta-feira (13/10) a reportagem do Metrópoles foi até o posto para conversar com os funcionários sobre o ocorrido. De acordo com o gerente do estabelecimento, que preferiu não ter o nome divulgado, por voltas das 6h os artefatos já estavam no local.

 

“A gente não suspeitou em um primeiro momento que fossem bombas. Eu, por exemplo, imaginei que eram peças de algum equipamento de som ou eletrônico que haviam descartado no estacionamento. Era só uma carcaça”, relata.

O homem disse que os objetos passaram a manhã e a tarde no local, sem que ninguém mexesse neles. “A gente viu e deixou quieto. Mas, umas 14h, quando o caminhoneiro veio abastecer o posto, ele viu um dos artefatos, achou suspeito e acionou a polícia”, conta.

 

Segundo o gerente, a proporção que a situação tomou fez com que os funcionários se preocupassem. “Começaram a isolar a aérea e pediram que todas as lojas fossem fechadas. Felizmente, era um dia de pouco movimento, o estacionamento estava vazio também. Se estivesse cheio, algum carro até poderia ter passado por cima”, comenta.

Já o funcionário de uma lanchonete do comércio comentou também ter visto os dois objetos, mas imaginou que fossem fogos de artifício.

 

“Eram tubos vazios, aparentemente só a carcaça, com fios cortados. Tem muitas festas que acontecem aqui em volta, imaginei que poderiam ser pessoas que estavam indo embora e jogaram aqui de pirraça mesmo”, relatou o funcionário.

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *