Seja bem-vindo. 23 de junho de 2024 01:49
Previous slide
Next slide

Vereador Waltinho se diz indignado pela nomeação de praça com nome de pastor e comunidade evangélica reage

Vereador Waltinho se diz indignado pela nomeação de praça com nome de pastor e comunidade evangélica reage

Pastores querem que o parlamentar se retrate e tratam a fala como intolerancia religiosa

Em vídeo postado em suas redes sociais nesta terça (28), o vereador Waltinho (PL), se disse “indignado” e afirmou que era um “desrespeito à igreja católica”, o fato da Praça da Bíblia da Vila Esperança ser denominada com o nome do Pastor Joeli.

O Parlamentar não aceitou a mudança do nome da Praça (que era apenas um terreno baldio), para homenagear o pastor que viveu e deixou um legado na região onde o equipamento público está sendo construído. Waltinho queria que a Praça se chamasse Dom Afonso Fioreze, bispo emérito de Luziânia, falecido em fevereiro de 2021.

Em nota, a Prefeitura de Luziânia afirmou que “a Praça que homenageará a memória de Dom Afonso será localizada no bairro JK, a 300 metros da Catedral Diocesana de Luziânia, onde o mesmo trabalhou até seus últimos dias de vida”, e que “a decisão foi tomada a partir de consulta ao atual Bispo Diocesano, Dom Waldemar Passine”. “Inclusive a praça terá um busto do homenageado”, conclui a nota.

Na internet, a comunidade evangélica reagiu e várias mensagens foram postadas no vídeo do vereador questionado, sobretudo, o fato de praças e ruas terem a homenagem a figuras católicas e quase nada aos evangélicos. “Por qual motivo uma praça que fica no mesmo bairro que morou a vida toda e praticamente ao lado de sua igreja, não pode receber o seu nome”, questionou uma internauta. “pedimos respeito à memória deste grande líder e homem de Deus, nobre vereador”, escreveu um membro da igreja de Joeli.

Devido ao posicionamento do vereador, vários pastores evangélicos e suas respectivas comunidades planejam participar da próxima sessão da Câmara e estudam pedir uma moção de desagravo ao parlamentar. “Indignados e ofendidos fomos todos nós evangélicos, protestantes e não católicos. Respeitamos a religião de todos e nos consideramos todos irmão de fé. Mas a atitude do nobre representante do povo mais se parecer com intolerância religiosa do que uma mera busca pela legalidade dos atos públicos”, afirmou o pastor André, um dos líderes religiosos que querem a retração imediata do vereador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *