Seja bem-vindo. 25 de julho de 2024 01:58
Previous slide
Next slide

PCDF cumpre 11 mandados de busca e apreensão, além de 11 ordens de prisão em diversas regiões do DF. Alvos são integrantes do PCC

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, na manhã desta sexta-feira (17/11), uma operação para contenção de célula da facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC). O grupo atua na capital federal e em regiões do Entorno. Trata-se da segunda fase da Operação Saturação, deflagrada em 18 de novembro de 2022.

As ações são coordenadas pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), vinculada ao Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor), da PCDF, e também contou com o apoio do Núcleo de Fiscalização do Sistema Penitenciário do Ministério Público do Distrito Federal (Nupri) e da Secretaria de Administração Penitenciária (Seape). No total, são cumpridos 22 mandados judiciais, sendo 11 de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão.

Cerca de 50 agentes da Polícia Civil do DF, incluindo membros da Divisão de Operações Especiais (DOE), foram mobilizados. As diligências focaram em áreas estratégicas como São Sebastião, Samambaia, Planaltina, Ceilândia, Paranoá, Gama, Recanto das Emas, Riacho Fundo II e em Padre Bernardo (GO). A operação também incluiu o cumprimento de mandados de prisão preventiva em estabelecimentos prisionais de Brasília.

A ação é resultado de monitoramento feito pelos investigadores, que permitiu a identificação de integrantes ativos da organização e responsáveis por práticas criminosas diversas, por estabelecer condições para o desenvolvimento e a expansão do grupo no DF, bem como realizar “batismos” — procedimentos para entrada dos novos faccionados.

“As ações da PCDF demonstram um esforço contínuo e determinado na luta contra facções criminosas, visando garantir a segurança e a ordem pública no Distrito Federal. Este novo avanço reforça o empenho das autoridades locais em neutralizar ameaças que afetam a sociedade brasiliense”, ressaltou a corporação por meio de nota.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *