Seja bem-vindo. 22 de maio de 2024 02:31
Previous slide
Next slide

Mulher agredida pelo companheir em valparaíso conta o terror que sofreu

Vítima teve rosto desfigurado pelo companheiro, que a agrediu em casa, em Valparaíso (GO). No vídeo, ela detalhou a violência sofrida.

A vítima da tentativa de feminicídio agredida nesse domingo (19/11), no Entorno do Distrito Federal, gravou um vídeo para contar detalhes da violência que sofreu do companheiro. A mulher de 40 anos foi enforcada e ameaçada dentro do apartamento onde mora, em Valparaíso (GO). Ela contou que, se a Polícia Militar de Goiás (PMGO) não a tivesse socorrido, estaria morta. “[O agressor] me bateu e tentou me matar com uma faca”, comentou na gravação.

 

“Acabei de sofrer agressão por parte da pessoa que estava comigo há meses. Ele me bateu, mas a agressão maior não foi o machucado. A agressão maior é aqui [a vítima coloca a mão sobre o peito], porque a gente confia. Essa pessoa conviveu nove meses comigo. Era uma pessoa agressiva, e eu tinha muito medo de mandar ir embora. [Na ocasião] aconteceu uma briga, ele veio para cima de mim, bateu e tentou me matar com uma faca, que os policiais levaram”, narrou a vítima.

 

Ela mostrou, ainda, marcas de golpes de facas sobre um colchão, que o agressor teria deixado na cama, na tentativa de acertar a companheira. “Para eu me defender, peguei um pote de creme e bati na cabeça dele. Foi a maneira que encontrei de me livrar [da violência]”, disse.

 

A vítima também mostrou uma porta derrubada pelo criminoso. Ela contou ter se trancado no quarto para fugir do companheiro, mas o agressor arrombou a entrada e tentou matá-la.

 

“Quero agradecer à PM e a todos os policiais que estão a meu lado. Espero, do fundo do meu coração, que a justiça seja feita. Se essa pessoa fez isso comigo, pode fazer com outras pessoas também. Que isso sirva de exemplo de que mulher precisa ser tratada com carinho, com respeito. Todos nós viemos de uma mulher. A gente não merece isso. Se os policiais não tivessem arrebentado minha porta, eu estaria morta agora. [Porque] ele [o agressor] pegou todos os meus telefones, e eu não tinha como pedir ajuda. Então, gratidão à polícia”, completou.

 

Covardia

A PMGO prendeu o agressor em flagrante. O criminoso, de 28 anos, agredia e ameaçava a companheira no momento em que os policiais chegaram ao apartamento da vítima. Vizinhos ouviram os gritos de socorro da vítima e acionaram os militares. Testemunhas relataram ter escutado o criminoso mexer em talheres, o que levantou a possibilidade de que ele fosse matá-la com uma faca.

 

Ao chegarem, os policiais escutaram os mesmos sons. Mesmo depois da chegada da PMGO, o criminoso não interrompeu as agressões, o que levou as equipes a arrombar a porta do imóvel para contê-lo. Os policiais comunicaram ser “necessário o uso progressivo da força” para parar o agressor. Depois, encontraram a vítima “bastante agredida e em estado de choque”.

 

Ela, inclusive, precisou de tempo para se recompor, pois, além de ficar com o rosto desfigurado, chegou a ser enforcada pelo companheiro. A vítima teve de fingir estar desmaiada para não morrer.

“Felizmente, a equipe conseguiu entrar [no apartamento] e frustrar o autor [do crime] no momento em que ele tentaria consumar o feminicídio”, informou a PMGO.

O agressor foi levado para a 1ª Delegacia de Luziânia (GO), localizada no bairro Vila Guará, e autuado por tentativa de feminicídio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *