Seja bem-vindo. 19 de julho de 2024 21:31
Previous slide
Next slide

Homem é jogado em cisterna e morre de desnutrição após 15 dias no local em Luziânia de Goiás

Homem é jogado em cisterna e morre de desnutrição após 15 dias no local em Luziânia de Goiás

Segundo as investigações, a vítima foi asfixiada e jogada num poço em 11 de julho, e acabou morrendo por desnutrição 15 dias depois A Políci…

Segundo as investigações, a vítima foi asfixiada e jogada num poço em 11 de julho, e acabou morrendo por desnutrição 15 dias depois.

A Polícia Civil do Goiás (PCGO) encontrou o corpo de Roberto Caetano de Souza, 51 anos, na tarde de quarta-feira (26/7), dentro de uma cisterna em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Com base nas investigações, a vítima foi asfixiada e jogada dentro do poço em 11 de julho, quando foi dada como desaparecida. Os laudos cadavérico e de local, produzidos pela Polícia Técnico-científica de Goiás, indicaram que Roberto sobreviveu no local por 15 dias e morreu horas antes de ser encontrado.

A PCGO, por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Luziânia, prendeu em flagrante três pessoas pelo crime de ocultação de cadáver. As prisões ocorreram na tarde de quarta-feira (26/7), quando o corpo foi encontrado dentro da cisterna, que tem 6 metros de profundidade e fica próxima à casa dos suspeitos, no bairro Parque Estrela Dalva X, região do Jardim Ingá.

Conforme apurado pelos investigadores, cinco indivíduos estavam envolvidos no crime, que foi motivado por uma dívida de drogas. Os suspeitos teriam asfixiado e lançado a vítima na cisterna. Outros dois indivíduos ainda estão foragidos.

Todos foram indiciados por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e corrupção de menores pois o crime foi praticado com a presença de uma adolescente. As investigações prosseguem para a localização dos outros foragidos.

O Corpo de Bombeiros Militar de Goiás foi acionado para a retirada do cadáver do local e a Polícia Técnico-científica para a realização dos exames periciais. O corpo foi deixado aos cuidados do Intituto Médico Legal (IML) de Luziânia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *