Seja bem-vindo. 22 de maio de 2024 03:24
Previous slide
Next slide

Por meio de unidades móveis, Luziânia levará atendimento médico até a casa de pacientes

Por meio de unidades móveis, Luziânia levará atendimento médico até a casa de pacientes

_Programa Saúde na Sua Porta terá consultas e exames nas áreas de cardiologia, ginecologia e oftalmologia_

Depois do sucesso do Programa Opera Luziânia, que realizou mais de 22 mil cirurgias eletivas, oftalmológicas e tratamento de varizes, o Governo Municipal de Luziânia lançou hoje (26), o “Saúde na Sua Porta”.

O primeiro dia de ação aconteceu no Hospital Municipal do Jardim Ingá e contou com centenas de pacientes que receberam atendimentos nas áreas de cardiologia, ginecologia e oftalmologia.

O prefeito Diego Sorgatto (UB) ressaltou que o Programa pretende democratizar os atendimentos para àqueles que precisam e tem dificuldade de acesso aos centros municipais de Saúde: “Vamos levar as consultas médicas em várias especialidades e também exames como ultrassom, mamografia, eletrocardiograma e exames oftalmológicos para os bairros e assim facilitar o tratamento desses pacientes que moram em locais distante dos hospitais e laboratórios na cidade”, relatou.

O secretário Municipal de Saúde, Glenio Magrini, explica que o programa será mensal e visitará os bairros da cidade através de unidades móveis: “De início o objetivo é zerar a fila da regulação municipal, mas também faremos atendimentos para as demandas espontâneas”, disse.

Esta primeira etapa do Programa terá duração de três dias e continuará funcionando no Hospital Municipal do Jardim Ingá até quinta-feira (28).

Ipasluz Saúde passará a cobrir internações por complicações da dengue

Ipasluz Saúde passará a cobrir internações por complicações da dengue

Devido a epidemia de dengue em todo país e também em Luziânia, o Plano de Saúde dos servidores públicos de Luziânia (IPASLUZ) passará a cobrir os custos com internações de pacientes com casos graves da doença.

A tarde desta sexta-feira (16) o prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto (União) fez o anúncio em suas redes sociais e justificou a medida: “Antes não havia esta previsão, mas devido a epidemia da doença na cidade, não poderíamos deixar nossos servidores e dependentes desamparados neste momento crítico que estamos vivendo”, afirmou.

Somente em janeiro foram registrados mais de 600 casos da doença e inúmeras medidas foram tomadas pelo governo do município para lidar com a situação, como a criação do Comitê de Crise, Campanhas de conscientização, visitação nas residências pelos agentes de endemias, limpeza de terrenos baldios e vacinação para crianças de 10 e 11 anos.

Além das medidas de prevenção, também estão sendo equipadas 5 unidades de saúde para atendimento de pacientes sintomáticos. “Apesar dos esforços da Prefeitura, contamos também com o apoio da população. Neste momento, a principal ferramenta contra a dengue é a eliminação dos criadouros do mosquito”, concluiu o gestor municipal.

Já fizemos mais que o dobro de cirurgias que a gestão anterior fez em 8 anos”, afirma Diego Sorgatto sobre o mutirão Opera Luziânia

Já fizemos mais que o dobro de cirurgias que a gestão anterior fez em 8 anos”, afirma Diego Sorgatto sobre o mutirão Opera Luziânia

Nesta manhã de sábado (3), o prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto esteve no Hospital Regional do Jardim Ingá, onde estão sendo realizados os procedimentos cirúrgicos do mutirão Opera Luziânia, terceira edição. Acompanhado pelo secretário de Saúde, Glenio Magrini, e do administrador do Jardim Ingá, Marcos Cunha, o gestor do município conversou com pacientes e a equipe que realiza o mutirão.

Em sua fala, Diego ressaltou a importância do programa para as mais de 20 mil pessoas que já passaram por cirurgias nas três edições do mutirão: “Em 3 etapas realizadas, já fizemos mais do que o dobro de cirurgias que a gestão anterior fez em 8 anos”, afirmou. “E não falo isso por vaidade, mas para mostrar o nosso compromisso com a população e em especial por aqueles eu esperavam há muitos anos a fila de cirurgias o município”, concluiu.

O mutirão Opera Luziânia é o maior mutirão de cirurgias de Goiás e já ultrapassou a marca de mais de 60 mil procedimentos realizados, entre consultas, exames, tratamento de varizes e cirurgias eletivas. Somente neste sábado foram realizadas 500 cirurgias de catarata e pterígio.

Uso de máscara passa a ser obrigatório na Rede Pública Municipal de Saúde de Valparaíso de Goiás, após aumento médio de 99,6% de casos confirmados de infecção por Covid-19

Uso de máscara passa a ser obrigatório na Rede Pública Municipal de Saúde de Valparaíso de Goiás, após aumento médio de 99,6% de casos confirmados de infecção por Covid-19

Máscaras de proteção voltam a ser usadas em unidades de saúde em Valparaíso, o uso obrigatório foi determinado após aumento aumento médio de 99,6% de casos confirmados de infecção por Covid-19.

O uso de máscara de proteção passou a ser obrigatório na rede pública de saúde de Valparaíso (GO), Entorno do Distrito Federal. A determinação veio após aumento de casos de doenças respiratórias devido as condições climáticas, e o aumento médio de 99,6% de casos confirmados de infecção por Covid-19 . A obrigatoriedade vale para servidores, pacientes e demais visitantes, nas dependências das unidades de saúde e unidades administrativas vinculadas à Secretaria Municipal de Saúde.

A cidade de Valparaíso de Goiás, localizada no Entorno do Distrito Federal, registrou nas últimas duas semanas um aumento médio de 99,6% nos casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Além disso, as condições climáticas da região favorecem o surgimento e agravamento de doenças respiratórias, como asma, bronquite e rinite.

Diante desse cenário, a SMS informa que o uso de máscara de proteção facial passa a ser obrigatório nas dependências das unidades de saúde e unidades administrativas vinculadas à secretaria. A medida visa reduzir o risco de transmissão da Covid-19 e de outras doenças respiratórias entre servidores, pacientes e demais visitantes.

A SMS também esclarece que a obrigatoriedade do uso de máscara segue as recomendações e orientações da Nota Técnica CGVDI/DIMU/SVSA/MS Nº 06/2023, emitida pela Coordenação-Geral de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, que atualiza as medidas de prevenção e controle no contexto da Covid-19, baseadas nas evidências científicas disponíveis e na experiência internacional.

A SMS reforça que o uso de máscara é uma das formas mais eficazes de prevenir a propagação do vírus, mas não dispensa outras medidas, como o distanciamento social, a higienização das mãos e a vacinação. A secretaria também pede a colaboração da população para que respeite as normas sanitárias e evite aglomerações.

Fonte: Com as informações da Secom PMVG.

Plano de saúde dos servidores do GDF terá aumento médio de 20%. Entenda

Plano de saúde dos servidores do GDF terá aumento médio de 20%. Entenda

Segundo o Inas, responsável pela gestão do plano, o reajuste é necessário para sanar as perdas da inflação e manter o equilíbrio do convênio

As mensalidades do plano de saúde dos servidores do Governo do Distrito Federal, o GDF Saúde, terão aumento médio de 20%. Este é o primeiro reajuste do convênio, criado em 2020, responsável pelo atendimento de 85 mil pessoas atualmente.

As mensalidades do plano de saúde dos servidores do Governo do Distrito Federal, o GDF Saúde, terão aumento médio de 20%. Este é o primeiro reajuste do convênio, criado em 2020, responsável pelo atendimento de 85 mil pessoas atualmente.

O reajuste foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de terça-feira (15/8). Segundo o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores (Inas), o reajuste é necessário para compensar a inflação e manter o equilíbrio financeiro do plano.

Para os dependentes, havia distinção se a pessoa era ativa ou inativa, com valores que variavam entre R$ 200 e R$ 400. Agora, só a idade será levada em conta. As mensalidades ficarão entre R$ 230 e R$ 490.

Para driblar o déficit
Segundo estudo atuarial do Plano GDF Saúde, existe uma projeção de déficits financeiros crescentes para os exercícios de 2023, 2024 e 2025, caso não haja alteração em seu custeio.

“Para manter o plano ativo, além da participação dos beneficiários, o GDF arca com quase metade da despesa. No entanto, os custos mensais aumentam a cada dia” disse a diretora-presidente do Inas, Ana Paula Cardoso.

Hoje, pelos cálculos do Inas, as despesas totais do plano estão na órbita de R$ 70 milhões por mês. Para o Inas, a recomposição é necessária para manter a rede credenciada, que conta com Sírio-Libanês, por exemplo.

Abaixo do mercado
“Esses valores ainda são inferiores aos praticados nos planos privados, mantendo-se vantajosos tanto para os beneficiários mais jovens quanto para os mais idosos”, argumenta o diretor de Finanças do Inas, Luciano de Barros.

“Com essa mudança, o aumento estimado de receita mensal do Inas será de R$ 4,5 milhões, que, aliado a outras medidas de saneamento, permitirá o equilíbrio financeiro e a sustentabilidade do plano”, resume Barros.

Números e inflação
Segundo o Inas, entre outubro de 2020 e julho de 2023, o IPCA subiu 23,67% e o IGP-M 26,80%. No mesmo período, a Agência Nacional de Saúde (ANS) autorizou reajustes da ordem de 25,71%.

Considerando os custos do mercado de saúde, apenas entre 2020 e 2022, houve um aumento no Custo Médico Hospitalar de cerca de 38,38%.

O reajuste anual está previsto na Lei nº 3.831/2006, responsável pela criação do plano, e também na lei que rege os reajustes da ANS.

Doença de chagas: saiba sintomas, formas de transmissão e tratamento de doença que já matou mais de 230 pessoas em Goiás durante este ano

Doença de chagas: saiba sintomas, formas de transmissão e tratamento de doença que já matou mais de 230 pessoas em Goiás durante este ano

Apesar de antiga, médico explica que a doença ainda é muito presente e precisa de atenção. A enfermidade é causada pelo inseto barbeiro.

Mais de 230 goianos perderam a vida este ano por causa da doença de Chagas. A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) estima que entre 200 mil e 300 mil pessoas tenham a enfermidade, em Goiás. Apesar de antiga, especialista explica que a doença ainda é muito presente e precisa de atenção.

“É uma doença antiga e a maioria dos casos são crônicos, quando as pessoas já a têm há anos”, afirma o médico infectologista Marcelo Daher.

O médico afirma que a doença de Chagas é causada pelo inseto barbeiro. Ele explica que ela estava associada ao consumo de alguns alimentos que, durante a produção, não eliminam o parasita. Porém, atualmente, os casos são de pessoas que já têm a doença e descobrem o diagnóstico tardiamente.

Sintomas
Nos casos agudos, quando a doença ainda está no início, os pacientes apresentam febre, mal estar e, até mesmo, problemas cardíacos. Já em casos crônicos, as pessoas têm dificuldade para engolir alimentos, intestino preso e batimento cardíaco acelerado, o que, segundo o médico, pode se agravar.

Pode se tornar grave, o coração para de funcionar e isso é um problema sério”, destaca Daher.

De acordo com um levantamento feito pela SES-GO, o estado já registrou 236 mortes pela doença até julho deste ano. A pasta comemora que o número de óbitos está em queda, sendo que em 2018 houveram 763 mortes e, em 2022, 601. Entretanto, destaca que ainda há uma alta taxa de mortalidade.

Tratamento
Daher diz que a doença de Chagas é uma enfermidade negligenciada e que o tratamento tem resultados positivos, mas destaca que o encaminhamento para o diagnóstico é deixado de lado. Ele afirma que o Sistema Único de Saúde (Sus) oferece o exame e a medicação gratuitamente.

“Não é um teste rápido. O paciente tem que consultar, fazer exames e, por isso, não é tão simples, mas existe tratamento na rede pública”, afirma.

O médico também cobra que os hospitais sejam melhor preparados para receber os pacientes e diagnosticar a doença. Além disso, a SES orienta as pessoas que apresentam sintomas e desconfiam do contato com o inseto barbeiro, a buscar atendimento na unidade básica de saúde.

Como o inseto barbeiro é comum na zona rural, a SES dá dicas de cuidados para moradores dessas regiões: impedir que o barbeiro forme colônias em buracos e frestas das residências e usar repelentes e roupas de mangas longas. Além disso, ao encontrar o inseto em casa, não o mate. Projeta a mão com luva ou saco plástico, coloque em um recipiente com tampa e entregue a um agente de saúde.

SECRETARIA DE SAÚDE ATUALIZA LISTA DA RELAÇÃO MUNICIPAL DE MEDICAMENTOS ESSENCIAIS

SECRETARIA DE SAÚDE ATUALIZA LISTA DA RELAÇÃO MUNICIPAL DE MEDICAMENTOS ESSENCIAIS

A Remume é uma lista de medicamentos adquiridos pelo município, norteada pela Rename, para atender às necessidades de saúde prioritárias da população.
O Governo Municipal de Valparaíso de Goiás, por meio da Secretaria Municipal de Saúde realizou uma atualização da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (Remume 2023), por meio da Portaria FMS Nº 262, de 29 de junho de 2023. A Remume é uma lista de medicamentos adquiridos pelo município, norteada pela Rename, para atender às necessidades de saúde prioritárias da população.

A Remume deve orientar a organização de todas as etapas da Assistência Farmacêutica, especialmente as prescrições médicas do âmbito do SUS e tem como premissa a garantia fundamental do acesso à assistência farmacêutica, orientação aos prescritores, eficiência das ações logísticas, otimização de custos, acompanhamento pelos órgãos de controle interno e externo, e, acima de tudo, obtenção de resultados consistentes na qualidade de vida da população com o uso dos recursos disponíveis.

A lista completa dos medicamentos está disponível no seguinte link:
https://diariooficial.valparaisodegoias.go.gov.br/materias/9503

Asilo clandestino fechado em Valparaíso de Goiás, pela Polícia Civil e Vigilância Sanitária

Asilo clandestino fechado em Valparaíso de Goiás, pela Polícia Civil e Vigilância Sanitária

Nesta quarta-feira, 05 de julho de 2023, a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Valparaíso de Goiás, em conjunto com os demais órgãos de vigilância e fiscalização, tomou conhecimento de funcionamento de um asilo de forma irregular, recebendo pacientes, sem o preenchimento dos requisitos legais.

Inicialmente, o fato chegou ao conhecimento desta delegacia, através de uma denúncia anônima, informando que no bairro Morada Nobre existia uma casa clandestina para idosos.

Foi instaurada uma verificação de procedência de informações-VPI, para apurar os fatos. Concomitantemente, o Ministério Público estava apurando a mesma denúncia, razão pela qual as apurações foram realizadas em conjunto, com o apoio da SUVISA e das Assistentes Sociais do Município.

Na localidade, foram constatadas 06 (seis) internas, as quais aparentavam idades entre 40 a 60 anos, que apresentavam transtornos mentais, fazendo uso de medicamentos controlados. As que conseguiam se manifestar, informaram que gostavam do local e que suas famílias as deixaram lá.
Foi constatado que a responsável pelo local era paga para cuidar diuturnamente das mulheres e medicá-las.

Não foram encontrados alvará de funcionamento ou qualquer outro documento que autorizasse o serviço de asilamento/internação.
O local estava sujo e com evidente falta de soluções básicas, visto que a água servida às internas vinha de um poço artesiano sujo, bem como foram encontrados vasilhames cheios de bituca de cigarro e água que, em tese, seria para o cachorro.
Tendo em vista a situação delicada dos pacientes, o serviço médico fora acionado para prestar atendimento às vítimas, bem como foram entregues aos seus respectivos familiares.
O local foi interditado.

A investigada responderá pelo crime de fornecer mercadoria (água e alimentos) em condições impróprias para o consumo (art. 7, inciso IX, da Lei nº 8.137/90), bem como pelo crime do art. 90 do Estatuto da Pessoa com Deficiência (abandonar pessoa com deficiência em hospitais, casas de saúde, entidades de abrigamento ou congêneres, em concurso os respectivos familiares), em concurso com os familiares contratantes do serviço de asilamento, pois, conforme art. 4º, §3º, da Lei nº 10.216/2001 É vedada a internação de pacientes portadores de transtornos mentais em instituições com características asilares, ou seja, aquelas desprovidas dos recursos mencionados.
Não houve a prisão em flagrante, tendo em vista a necessidade de perícia.

Moradores falam sobre os benefícios da maternidade: Prefeito Diego Sorgatto visita bebê número mil nascido no Hospital Estadual de Luziânia

Moradores falam sobre os benefícios da maternidade: Prefeito Diego Sorgatto visita bebê número mil nascido no Hospital Estadual de Luziânia

_Entre as comemorações, o Prefeito Diego Sorgatto e o secretário de Saúde, estiveram na unidade de Saúde para darem as boas-vindas à pequena Isis Maria_

A Maternidade do Hospital Estadual Vasco do Rosário Melo celebrou no dia de ontem (26) o nascimento do milésimo bebê. A chegada da pequena Isis Maria, que marca as mil vidas que a equipe ajudou a trazer ao mundo desde a inauguração, no segundo semestre do ano passado, foi motivo de comemoração entre médicos, enfermeiros e setor administrativo da unidade hospitalar.

Entre os que comemoraram o nascimento, estão o prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto e o secretário Municipal de Saúde, Gonçalo Henrique. Ambos fizeram questão de visitar a pequena Isis, e claro, não esqueceram dos presentes. “Muita felicidade por poder acompanhar este momento tão especial para todos nós. Já são mil partos realizados aqui em nossa cidade, o que antes da estadualização da unidade, era algo inimaginável pelas mamães de Luziânia”, afirmou o prefeito.

O prefeito agradeceu ao Governo do Estado, “que foi sensível com a solicitação, tanto da estadualização, quanto da instalação da Maternidade no Hospital Estadual de Luziânia, antigo Regional”. “Um trabalho de excelência, que muito nos honra e que traz a sensação de mais um compromisso cumprido diante da população luzianiense”, concluiu.

O secretário de Saúde, Gonçalo Henrique, ressaltou a importância da estadualização do hospital: “Não fosse o trabalho do prefeito Diego Sorgatto no sentido passar a administração do antigo Hospital Regional para administração do Governo Estadual, possivelmente ele ainda estaria com as portas fechadas, ou funcionando precariamente. O custo para mantê-lo funcionando é muito alto e a Prefeitura não teria condições de custear os serviços ali oferecidos”, afirmou.

O Hospital Estadual de Luziânia foi estadualizado em 2020 e realizou atendimentos aos pacientes vítimas da Covid-19. Em 2022, a unidade passou por reformas estruturais e adequações para se tornar um Hospital Geral, com Centro Obstétrico de referência para Luziânia e região.

Materno Infantil de Luziânia contará com atendimento pediátrico a partir da próxima segunda, anuncia o prefeito Diego Sorgatto

Materno Infantil de Luziânia contará com atendimento pediátrico a partir da próxima segunda, anuncia o prefeito Diego Sorgatto

_Atendimento será estendido ao Hospital Municipal do Jardim Ingá_

O prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto, anunciou em suas redes sociais na tarde desta sexta-feira (23), que a partir da próxima segunda-feira uma “médica pediatra estará disponível para atender no Materno Infantil”.

O gestor também informou que está realizando uma repactuação com o Instituto que presta serviço para o município em relação a contratação de médicos, para que o atendimento também seja estendido para o Hospital Municipal do Jardim Ingá.

À reportagem, Diego relembrou a conquista da Maternidade inaugurada no Hospital Estadual de Luziânia e o Mutirão Opera Luziânia, como conquistas que estão melhorando a Saúde no Município. “Antes, crianças não podiam nascer em Luziânia porque não existia maternidade, e o Opera Luziânia praticamente zerou a fila de cirurgias no município. Vamos resolver o déficit no atendimento pediátrico e com a vinda da faculdade de medicina, em breve iremos revolucionar o atendimento médico na cidade. Sabemos que os desafios são muitos, mas com trabalho e responsabilidade estamos melhorando nossa querida Luziânia”, afirmou.