Seja bem-vindo. 25 de fevereiro de 2024 11:24
Previous
Next

Mulher reage e consegue fugir de ex que tentava matá-la em frente ao trabalho dela; vídeo

Câmeras de segurança mostram quando ele ataca a mulher com um canivete. Caso aconteceu em Aparecida de Goiânia e suspeito foi preso.

Uma mulher reagiu e conseguiu fugir do ex que tentou matá-la em frente ao trabalho dela, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Câmeras de segurança mostram quando ele ataca a mulher com um canivete.

O crime aconteceu na última segunda-feira (15), no Setor Santo André. Segundo a Polícia Militar, ele foi encontrado e preso em Goianira. A Polícia Civil disse que ele não aceita o fim do relacionamento.

Segundo a PC, ela conseguiu se abrigar em um restaurante e chamou a polícia. A vítima tem 33 anos e suspeito tem 34 anos.

À TV Anhanguera, a vítima disse que está muito assustado com o que aconteceu, que está bem e se recupera em casa. Ela disse ainda que está com medo e vai mudar de cidade.

Mulher morta por ex na frente da filha levou tiros nas costas e rosto

Tainara Kellen, 26 anos, foi assassinada com pelo menos seis tiros na frente da própria filha, de 5 anos, nessa 4ª; suspeito está foragido

Tainara Kellen Mesquita da Silva (foto em destaque), 26 anos, foi morta pelo ex-marido com um tiro no rosto, quatro nas costas e um nas nádegas. O suspeito pelo feminicídio é o ex-marido da vítima, Wesly Denny da Silva Melo, 29, que está foragido.

A coluna apurou que Wesly usou uma pistola 9 mm no crime. O homem tem 11 passagens pela polícia e é Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC). Um amigo dele contou que o suspeito guarda em casa um rifle e quatro pistolas.

A vítima tinha 26 anos e atuava profissionalmente na área de estética, principalmente com alongamento de cílios. Ela foi morta na tarde dessa quarta-feira (10/1) em frente à filha, de 5 anos, perto do salão de beleza onde trabalhava.

O crime ocorreu na Quadra 29 do Setor Leste do Gama. Tainara teria recebido uma mensagem do suspeito e, quando saiu do estabelecimento, foi baleada.

A ocorrência – a primeira tipificada como feminicídio no DF em 2024 – será investigada pela 14ª Delegacia de Polícia (Gama).

A mãe de Tainara esteve no local, passou mal e precisou ser levada pela irmã ao hospital. Ao Metrópoles uma vizinha contou que Tainara era uma mulher dedicada à família: “Era uma filha amorosa e uma mãe exemplar”.

Ainda de acordo com essa vizinha, que preferiu não se identificar, Tainara e o ex viviam terminando e se reconciliando. “Ele ameaçava ela demais, era muito possessivo”, contou.

Segundo apurado pelo Metrópoles, o nome de Wesly aparece em uma lista de inscrição de uma competição promovida por um clube de tiro de Brasília, em julho de 2023.

A lista de crimes praticados por ele inclui porte ilegal de arma, ameaças, vias de fato e desacato. Há, inclusive, duas ocorrências de violência doméstica contra outras mulheres.

 

Armada, mãe mata filho autista e tira própria vida em Águas Claras

Moradores relataram que um apartamento exalava um cheiro muito forte e, por isso, resolveram acionar a polícia

Dois corpos foram encontrados dentro de um apartamento no edifício Mondrian Antares, em Águas Claras, na noite dessa terça-feira (9/1). A Polícia Civil do Distrito Federal confirmou a informação. Os moradores relataram que um apartamento exalava um cheiro muito forte, suspeitaram que poderia ter algum cadáver no local, e acionaram a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Quando invadiram o imóvel, os PMs encontraram o corpo de um homem de 27 anos na sala e outro de uma mulher, de 63, no quarto. Ao lado do corpo dela, havia um revólver.

 

Os dois são mãe e filho. O rapaz foi identificado como Cléber Baraldi, e a mulher, Milce Maria Alonso Soares. Ela teria atirado e matado o próprio filho, que tinha Transtorno do Espectro Autista (TEA) e, em seguida, disparou a arma contra si. Vizinhos contaram à reportagem que Cléber foi visto pela última vez no sábado (6/1). A delegada da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), Elizabeth Frade, que investiga o caso, disse que, pelas condições dos corpos, o crime teria ocorrido há, pelo menos, dois dias.

A Polícia Civil foi acionada e investiga as circunstâncias do crime que chocou a cidade.

 

Mulher que matou ex dormia na casa de amigo quando foi agredida

Raquel Silva de Oliveira, 34 anos, dormia na casa de um amigo quando o ex-companheiro teria invadido a casa e a agredido com socos

Investigadores da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) apuram as circunstancias de um homicídio, em que uma mulher matou o ex-companheiro a facadas, no último domingo (17/12), no Paranoá. Raquel Silva de Oliveira, de 34 anos, usou uma faca de serra para perfurar o tórax de Marco Antônio dos Santos Ribeiro, 42.

Segundo informações preliminares, a mulher teria esfaqueado a vítima para se defender de agressões. O casal se relacionava havia 10 meses, mas estavam brigados há três dias. Logo em seguida, teriam voltado a se falar, segundo Raquel contou em seu depoimento à delegacia.

A mulher contou que, na manhã em que Marco Antônio morreu, ela dormia com um amigo, na casa dele, na quadra 34 do Setor de Oficinas do Paranoá. A mulher relatou que já estava na residência há pelo menos uma semana. Raquel revelou que estava dormindo quando Marco Antônio entrou na casa embriagado e jogado cachaça em seu rosto.

A vítima teria proferido uma série de xingamentos e dado socos no rosto de Raquel, segundo o relato da mulher. O amigo teria tentado intervir mas logo depois teria dito que “não iria mais interferir”. A vítima teria continuado a agredir a mulher com socos até que ela correu até a cozinha e pegou uma faca de serra.

Quando Marco Antônio teria avançado contra a mulher, ela o golpeou na lateral direita do tórax. À polícia, a mulher afirmou que não tinha intenção de matar o ex-companheiro, mas apenas se defender. Depois de presa, a mulher passou por audiência de custódia e foi liberada.