Seja bem-vindo. 16 de abril de 2024 04:39
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

Cenas forte ; Durante festa Venezuelanos são atacados por vizinho armado com facas em Valparaíso

Segundo uma das vítimas, o agressor é um vizinho de kitnet que mora no mesmo lote. 

A polícia militar de Valparaíso de Goiás foi acionada na noite desta quarta-feira 06/03 para deslocar até a rua 10 quadra 24 lote 08 para atender uma ocorrência repassada pela central de operações onde uma briga acabou terminando com dois esfaqueados. Chegando no local, os policiais tomaram conhecimento que o acusado de provocar a confusão foi Marcos André Guedes 57 anos, e teria sido Socorrido pelo SAMU até o cais de Valparaíso com várias perfurações pelo corpo provocadas por uma tesoura usada pela vítima, um venezuelano enquanto tentava se defender.

Na delegacia, o homem que teria dado golpes de tesoura no causador da briga é de origem venezuelana e estaria acompanhado de mais dois familiares também estrangeiros, Os venezuelanos envolvidos na confusão disseram que estavam em uma confraternização de aniversário entre os três quando o vizinho ( agressor)  teria chegado sem camisa alterado e com uma caixinha de cerveja. Os venezuelanos observaram que o homem aparentava sinais de embriaguez ou que teria usado alguma substância ilícita do tipo droga e que forçou amizade para participar da comemoração, Assim que tomou as seis cervejas que levou, ele pediu mais cerveja e foi informado que não teria.

Os moradores da kitnet pediram que ele se retirasse que a comemoração teria acabado, o Acusado desceu até sua kitnet pegou duas facas e partiu para cima dos vizinhos, um dos venezuelanos pegou uma tesoura para se defender e neste momento começou a briga facas contra a tesoura. Ao ser atacado pelo visinho que utilizava uma faca e sofrer um corte superficial na testa durante a luta corporal, ambos caíram no chão agarrados e neste momento o agressor acabou levando vários golpes de tesoura pelo corpo, percebendo que o causador da confusão estava sem reação, o venezuelano parou com os ataques e chamaram o socorro do Samu e a polícia militar.

O acusado de atacar os vizinhos foi socorrido pelo samu desacordado e inconsciente e desorientado até o Cais onde permanece internado, Na delegacia, os venezuelanos foram ouvidos e confeccionado uma ocorrência de lesão corporal dolosa, o caso segue para justiça. Marcos André Guedes acusado das agressões tem passagens pela polícia e se encontra em prisão domiciliar do sistema prisional de Goiás.

Pit-bull sem focinheira ataca e fere rosto de babá

Caso aconteceu na Quadra 208 de Águas Claras. Babá chegava ao trabalho, por volta das 10h dessa 3ª, quando foi atacada por um pit-bull

Uma mulher de 42 anos foi atacada por um cão da raça pit-bull que estava sem focinheira na Praça Sabiá, na Quadra 208 de Águas Claras, na manhã dessa terça-feira (5/3). A vítima estava na calçada, a poucos metros do prédio em que trabalha, quando o cão avançou e mordeu o rosto dela.

Testemunhas relataram que a babá chegava ao trabalho, por volta das 10h, quando se assustou com o cachorro. O animal estava na coleira, guiado por uma jovem, mas parecia agressivo.

A vítima tentou desviar o caminho, mas acabou atacada no rosto, na região do olho esquerdo. Ela foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas não conseguiu atendimento.

A patroa decidiu levar a funcionária para um hospital particular e pagou R$ 1,6 mil pelas despesas médicas.

Os donos do pit-bull disseram não ter condições de pagar pelo tratamento. No momento do ataque, o cachorro estava com a filha dos tutores do animal, que não conseguia segurar o cão na coleira com firmeza. A responsável pelo cachorro chegou a dizer que a vítima seria a culpada pelo ataque, pois teria gritado.

Depois do ocorrido, segundo testemunhas da situação, a jovem que estava com o cão tentou ir embora, mas as pessoas que acompanharam o episódio não permitiram. A responsável pelo pit-bull, então, chamou a mãe para buscar o animal e levá-lo para casa.

A vítima passou por exame de corpo de delito para avaliar a gravidade dos ferimentos. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga a ocorrência como lesão corporal culposa – não intencional – e omissão de cautela na guarda ou na condução de animais.

A PCDF informou que a tutora do cachorro ainda não forneceu a carteira de vacinação do cão, mesmo após ter sido alertado por duas vezes quanto à necessidade da documentação para seguir com protocolos necessários.