Seja bem-vindo. 22 de maio de 2024 01:38
Previous slide
Next slide

Acusado de assassinatos, bebeu sangue das vítimas depois de Matá-las

 

Segundo a Polícia Civil, o homem tinha prazer em matar as vítimas

Um homem foi preso em Goiânia suspeito de matar pessoas em situação de rua e beber o sangue das vítimas. Os crimes aconteceram entre dezembro de 2023 e fevereiro de 2024. Segundo a Polícia Civil, o homem tinha prazer em matar as vítimas e, por vezes, bebia o sangue delas após as execuções.

Ainda conforme a Polícia, o homem praticou o mesmo modus operandi em três homicídios. As vítimas eram pessoas em situação de rua e usuárias de drogas. O homem aproveita desta vulnerabilidade para atrair as vítimas e matá-las.

Detento que matou mãe e pai é suspeito de assassinar colega de cela

Victor Gabriel Nunes matou a mãe há uma semana, em Corrente (PI), mais de quatro anos depois de ser preso por matar o pai em Ceilândia (DF)

Victor Gabriel Nunes de Paula (foto em destaque), 23 anos, preso há uma semana por assassinar a própria mãe a facadas e pauladas, em Corrente (PI), é suspeito de matar um companheiro de cela no Presídio Dom Abel Nunes, na mesma cidade, na noite dessa quarta-feira (31/1). Em 2019, o acusado havia sido detido por matar o pai esfaqueado, em Ceilândia (DF). Continue lendo “Detento que matou mãe e pai é suspeito de assassinar colega de cela”

Vídeo: mulher tenta correr, mas é alcançada e assassinada a facadas

Mulher foi assassinada, na madrugada do último domingo (28/1), em uma rua de Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do DF

Uma mulher foi assassinada, na madrugada do último domingo (28/1), em uma rua do bairro Parque Estrela Dalva, em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do Distrito Federal. A vítima recebeu diversos golpes de faca. O momento do crime foi flagrado por câmeras de casas da região.

O suspeito pelo crime foi identificado como Paulo Rodrigues Queiroz (imagem abaixo), de 32 anos. Ele foi capturado em um matagal por uma equipe da Polícia Militar de Goiás (PMGO) horas após o crime.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Adriano Jaime, há duas linhas de investigação no momento: homicídio qualificado ou feminicídio. A Polícia Civil de Goiás (PCGO) aguarda o depoimento de testemunhas para entender melhor a dinâmica do crime.

Informações iniciais do próprio suspeito indicam que o crime tenha ocorrido por ela ter delatado um local de uso de drogas, o que acabou supostamente prejudicando o irmão do autor. No entanto, outros elementos apontam que o assassinato foi por causa de ciúmes.

 

Homem é assassinado a tiros dentro de carro no Distrito Federal

PMDF informou que muitos disparos atingiram a vítima. A suspeita é que o crime tenha sido motivado por acerto de contas

Um homem de 32 anos foi assassinado a tiros na noite dessa terça-feira (16/1) dentro de um carro na Quadra 418 de Santa Maria, no Distrito Federal.

O Corpo de Bombeiros (CBMDF) informou que foi acionado para atender a ocorrência, mas, quando os militares chegaram ao local, já encontraram a vítima sem vida.

De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), a suspeita é que o crime tenha sido motivado por acerto de contas.

O caso é investigado pela 33º Delegacia de Polícia (Santa Maria).

 

Ministério Público alega que pintor cometeu feminicídio qualificado, estupro, furto, cárcere privado e tentativa de ocultação de cadáver

Ministério Público alega que pintor cometeu feminicídio qualificado, estupro, furto, cárcere privado e tentativa de ocultação de cadáver

O Ministério Público de Goiás (MPGO) apresentou denúncia, na segunda (23), contra o pintor Jefferson Erivaldo da Silva Nascimento, que está sob investigação por estupro, homicídio e tentativa de ocultação do corpo da fisioterapeuta Larissa Araújo, em Rio Verde, sudoeste de Goiás. O crime foi revelado em 2 de outubro, quando o suspeito capotou o carro e o corpo de Larissa, escondido no veículo, foi arremessado na BR-060.

A denúncia submetida pelo MPGO diverge da classificação jurídica dada pela Polícia Civil ao pintor no encerramento do inquérito. O MPGO alega que Jefferson cometeu um crime de feminicídio qualificado, devido à violência empregada, além de estupro, furto qualificado, cárcere privado e tentativa de ocultação do cadáver.

Em 11 de outubro deste ano, quando as investigações foram concluídas, a Polícia Civil havia indiciado o pintor por latrocínio, estupro e tentativa de ocultação de cadáver. Isso ocorreu, porque a polícia acreditou que Jefferson matou Larissa para roubar bens em sua casa e, durante o crime, a estuprou. Material genético masculino foi encontrado no corpo da vítima.

“Os indícios apontam que ele escolheu aleatoriamente. Ele entrou na residência com a intenção de roubar e, ao se deparar com a vítima, a neutralizou por meio da violência, amarrando-a”, afirmou o delegado responsável pelo caso, Caio Martines, durante as investigações.

 

A denúncia do MPGO contraria a tese da Polícia Civil, alegando que Jefferson matou a fisioterapeuta para ocultar o estupro. Conforme a instituição, essa mudança deve ter um impacto direto na sentença do pintor, que poderá ser julgada pelo Tribunal do Júri, em vez de um juiz singular.

Se as acusações forem aceitas pela Justiça, Jefferson poderá ser condenado a uma pena de mais de 40 anos de prisão. O MPGO também solicita uma indenização de R$ 500 mil a ser pago à família de Larissa.