Seja bem-vindo. 19 de julho de 2024 22:07
Previous slide
Next slide

Briga entre irmãos por sofá vendido termina com dois presos no DF

Trio teria invadido casa onde irmã deles mora para reaver sofá que ela havia ganhado da mãe 2 anos antes. Confusão terminou na delegacia

Uma briga de família terminou com dois presos, um adolescente apreendido e uma jovem de 26 anos ferida no Distrito Federal, na noite desse domingo (30/6). Informações preliminares dão conta de que o desentendimento teria começado por causa de um sofá.

A confusão aconteceu em um condomínio no Itapoã, por volta das 20h30, segundo a Polícia Militar (PMDF). Em depoimento à Polícia Civil (PCDF), a vítima que ficou ferida contou que, dois anos atrás, ganhou da mãe um sofá de presente. Neste ano, porém, após as duas voltarem a morar juntas, a jovem vendeu o sofá a uma prima, por R$ 600.

No início de junho, contudo, a jovem acabou expulsa da casa da mãe e passou a morar com a prima que tinha comprado o móvel. Desde então, segundo a vítima, os três irmãos – de 29, de 23 e de 16 anos – e a matriarca da família começaram a cobrar pela devolução do sofá.

Nesse domingo (30/6), então, os três irmãos teriam invadido a atual casa da jovem e a agredido com chutes na costela, socos na boca, tapas no rosto, além de a derrubarem no chão. Após as agressões, o trio levou o sofá e um fogão cooktop do imóvel.

A vítima relatou que a mãe dela estaria em um carro, à espera dos filhos. Todos os envolvidos foram levados para a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá). Os mais velhos foram presos, e o adolescente, encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).

Depoimentos

À PCDF a mãe dos envolvidos disse que levou os filhos até a casa da filha devido a “um acordo” e que a jovem teria concordado em devolver o sofá. A depoente acrescentou que esperou no carro e que, quando o trio voltou para o veículo, nenhum deles mencionou qualquer coisa sobre agressões.

Os dois irmãos mais velhos contaram à polícia que foram à vítima para recuperar o sofá, mas, ao chegarem, foram recebidos “com agressividade”. Todos também negaram ter havido violência. A PCDF investiga o caso.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *