Seja bem-vindo. 16 de abril de 2024 05:25
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

Agressor espanca companheira e deixa vítima desacordada no DF. Vídeo

Vítima levou chutes, socos e puxões de cabelo. Amiga da vítima testemunhou agressões, mas foi empurrada para fora. Agressor está foragido

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) procura por Gabriel da Silva Teixeira (foto em destaque e abaixo), 29 anos, foragido pelos crimes de ameaça, dano e lesão corporal. Ele desapareceu após agredir violentamente a companheira – que não terá o nome divulgado –, na terça-feira (27/2), com chutes, socos, tapas e puxões de cabelo. O caso é apurado pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher I (Deam I).

Câmeras de segurança do apartamento onde os dois estavam, em Samambaia Sul, registraram a violência, inclusive quando o criminoso arrastou a vítima para outro cômodo, enquanto ela estava desacordada.

No início do vídeo, ela e outra mulher aparecem conversando. A testemunha havia ido ao imóvel ao saber que a amiga estava com medo do agressor. Quando Gabriel aparece, ele começa a agredir a companheira.

O agressor xingava a vítima e a ameaçava de morte. A testemunha tentou impedir a violência, mas não conseguiu e acabou empurrada para fora do apartamento. 

Depois que a amiga da vítima saiu, as agressões se intensificaram, e a companheira de Gabriel foi derrubada ao chão. Ela bateu a cabeça e desmaiou em seguida.

Mesmo desacordada, continuou a receber chutes, além de ser agredida com uma cadeira e arrastada pelos cabelos. O criminoso ainda teria rasgado as redes de proteção das janelas do imóvel para jogar a vítima do quinto andar.

A intenção de Gabriel seria matá-la e fazer o caso parecer um suicídio, segundo as investigações. Apesar das agressões, a vítima sobreviveu.

Depois de cometer o crime, Gabriel ligou para o filho da companheira e disse ter sido agredido, para disfarçar as marcas que tinha pelo corpo. Ele também ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que levou a vítima para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

Desde então, o agressor é procurado. Quem tiver informações sobre o paradeiro de Gabriel deve entrar em contato com a PCDF, pelo telefone 197 ou pelo e-mail da corporação (denuncia@pcdf.df.gov.br). Não é necessário se identificar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *