Seja bem-vindo. 14 de junho de 2024 01:53
Previous slide
Next slide

Pais são presos suspeitos de estuprar a filha de 1 ano após vizinho ouvir choro da bebê e pedir ajuda Bombeiros disseram

Pais são presos suspeitos de estuprar a filha de 1 ano após vizinho ouvir choro da bebê e pedir ajuda

Bombeiros disseram que foram chamados porque a menina teria caído, mas ferimentos não eram compatíveis com a descrição. Polícia disse que a vítima foi estuprada pelo pai, com a conivência da mãe.

O pai e a mãe de uma bebê de 1 ano e 6 meses foram presos suspeitos de estuprá-la em Posse, no nordeste goiano. De acordo com o delegado Humberto Soares, um vizinho escutou o choro da vítima e pediu ajuda.

“Um vizinho desconfiou e chamou o Corpo de Bombeiros. Ele achou estranha a movimentação na casa e pensou que algo estivesse acontecendo com a criança”, disse o delegado.

Como os nomes dos pais não foram divulgados, não localizou a defesa deles até a última atualização desta reportagem.

Os bombeiros explicaram que foram chamados para atender a menina, que teria caído de uma altura e estava sangrando. No entanto, as lesões não eram compatíveis com a descrição e a vítima foi encaminhada ao hospital e a Polícia Militar foi acionada.

No hospital, os pais contaram uma história inconsistente aos fatos, segundo o delegado. Segundo a Polícia Civil (PC), a menina estava com ferimentos nas partes íntimas e os profissionais da unidade chamaram as autoridades policiais, por conta da suspeita de violência sexual.

A investigação mostrou que a menina foi estuprada pelo pai, com a conivência da mãe, que tentou protegê-lo e encobrir os fatos. A prisão aconteceu na última quarta-feira (4). Segundo o delegado, a mulher colocou a culpa no homem e ele ficou calado.

Exames
Segundo a PC, os policiais, acompanhados de um médico legista, confirmaram as lesões compatíveis com o estupro, atestado em laudo médico. A menina foi encaminhada a um hospital de Goiânia para realizar um procedimento.

Os nomes da menina e do hospital não foram divulgados, por isso, nosso veículo não obteve informações sobre o estado de saúde dela até a última atualização desta reportagem.

Crime brutal
O delegado Humberto Soares informou que a menina não tem risco de morrer por conta dos ferimentos. Em uma publicação, o investigador disse que se chocou com a brutalidade do caso.

“Um dos casos mais bárbaros ao qual eu tive o desprazer de enfrentar aqui em Posse […] Infelizmente, não há limite para a maldade humana”, escreveu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *