Seja bem-vindo. 25 de fevereiro de 2024 11:52
Previous
Next

Morador filmado ao jogar casca de banana em porteiro já havia agredido a mulher com socos e tapas dentro de elevado, em Valparaíso de Goiás

Morador filmado ao jogar casca de banana em porteiro já havia agredido a mulher com socos e tapas dentro de elevado, em Valparaíso de Goiás

O morador registrado Alessandro Ribeiro Oliveira, filmado pelo sistema de monitoramento ao jogar uma casca de banana em um porteiro do condomínio em que mora, já havia agredido a mulher com socos e tapas dentro de um elevador, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal.

Noticiada por diversos veículos na época, a agressão aconteceu no dia 29 de dezembro de 2019, no condomínio Parque das Cachoeiras. Na época, o homem disse à polícia que estava embriagado no momento das agressõe, que não se lembrava do motivo de ter batido na vítima e que ficou “admirado” após ver o vídeo. Ele chegou a ser preso, mas foi solto.

Não conseguimos localizar a defesa dele para um posicionamento até a última atualização deste texto. Atualmente, o caso da agressão se encontra em segredo de Justiça, por isso, a reportagem não conseguiu atualizações sobre ele.

No um vídeo que mostra a agressão, o homem aparece com uma lata na mão. Em seguida, a porta se abre e, quando a mulher começa a entrar, ele a puxa pelo cabelo, joga contra a parede do elevador, que tem a proteção danificada.

Na sequência, dá vários socos e tapas contra ela, joga cerveja no rosto dela e esfrega a lata contra a vítima. As imagens foram encontradas pelo síndico, que pediu os registros após encontrar a proteção do elevador danificada. Na época das agressões, o casal tava junto há 13 anos.

O caso contra o porteiro Fabrício Pessêgo, de 31 anos, aconteceu no último dia 7 de novembro. À polícia, o profissional explicou que o morador jogou a casca de banana nele e o xingou depois de tentar entrar no prédio com um veículo não identificado. Um vídeo registrado por câmeras de segurança mostra o momento em que o morador entra na guarita e joga uma sacola junto ao porteiro.

“Me senti muito constrangido, desrespeitado, porque ele não quis respeitar minha função no momento de zelar pela segurança”, disse ao g1.
“Vai fazer sua função, pô. Não dá conta de uma, quer fazer duas? Está fazendo o quê na portaria se você não dá conta nem da sua função no bloco?”, disse o morador ao porteiro ao jogar a sacola.

O porteiro detalhou que a situação aconteceu porque o morador não teria gostado do fato de ter sido proibido de entrar no local em um veículo para desembarcar pessoas da família dele. No entanto, segundo Fabrício, esse veículo não estaria cadastrado no sistema. O porteiro explicou à polícia que todos os veículos de moradores do local devem possuir, por norma, adesivo de identificação ou registro junto a um sistema.

“Nosso condomínio tem um registro de veículos. O mesmo se negou já dirigindo palavras de baixo calão”, disse Fabrício.
Mesmo sem o cadastro, por se tratar de um morador, Fabrício acabou abrindo a cancela para que o morador entrasse no local. No entanto, o porteiro explica que, depois de desembarcar as pessoas do carro e estacionar novamente do lado de fora, o homem teria retornado e iniciado os xingamentos. Segundo Fabrício, pouco depois, o morador sai e volta novamente com o saco de casca de banana. O condomínio e a empresa terceirizada em que Fabrício atua como porteiro repudiaram o caso.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *