Seja bem-vindo. 14 de junho de 2024 02:03
Previous slide
Next slide

Feminicídio: suspeito de estrangular e matar mulher no DF é preso

omem se apresentou à delegacia com advogado e ficou em silêncio. Ele é suspeito de feminicídio contra Diana Faria Lima, morta estrangulada

A Polícia Civil prendeu o homem acusado de matar estrangulada Diana Faria Lima, aos 37 anos. O crime aconteceu na manhã desta segunda-feira (15/1), e Kelsen Oliveira de Macedo (foto em destaque), 42, se apresentou à delegacia nesta tarde.

Ele foi até a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) 2, em Ceilândia, com advogado, e decidiu ficar em silêncio. Os agentes ressaltaram ao advogado que o autor não foi apresentado de forma espontânea, já que a apresentação aconteceu quase 12 horas depois.

O homem coleciona inúmeras passagens pela polícia. O Metrópoles apurou que, desde 2010, o homem é denunciado às autoridades por agredir, ameaçar e injuriar mulheres que já passaram pela vida dele, incluindo a própria mãe.

Apesar de já ter sido preso três vezes por crimes relacionados à Lei Maria da Penha, Kelsen logo voltou a ganhar liberdade, após as vítimas solicitarem a retirada de queixas e medidas protetivas garantidas a elas contra ele.

Conforme apurado pela reportagem, a primeira vítima a denunciar o foragido, em 2010, foi uma ex-companheira. Seis anos depois, uma segunda namorada também registrou boletim de ocorrência. Ela, contudo, teria reatado relacionamento com Kelson, mas terminou por oficializar outras duas queixas, em 2018 e em 2019. No mesmo ano, o homem foi denunciado pela quinta vez. Na data, ele teria atacado a própria mãe.

Apesar de já ter sido preso três vezes por crimes relacionados à Lei Maria da Penha, Kelsen logo voltou a ganhar liberdade, após as vítimas solicitarem a retirada de queixas e medidas protetivas garantidas a elas contra ele.

Conforme apurado pela reportagem, a primeira vítima a denunciar o foragido, em 2010, foi uma ex-companheira. Seis anos depois, uma segunda namorada também registrou boletim de ocorrência. Ela, contudo, teria reatado relacionamento com Kelson, mas terminou por oficializar outras duas queixas, em 2018 e em 2019. No mesmo ano, o homem foi denunciado pela quinta vez. Na data, ele teria atacado a própria mãe.

Em 2022, Diana registrou a primeira ocorrência contra o foragido. Tempos depois, porém, solicitou a retirada da queixa e de medidas protetivas. O caso tornou a se repetir por outras 10 vezes. Nesta segunda-feira (15/1), a mulher foi espancada por horas até morrer, na QNM 24, em Ceilândia.

De acordo com a delegada Letízia Lourenço, chefe da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher 2 (Deam 2), vizinhos ouviram o som de pancadas e gritos, mas ninguém acionou a polícia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *