Seja bem-vindo. 23 de junho de 2024 06:01
Previous slide
Next slide

Cristóvão Tormin: um passado que condena

Cristóvão Tormin: um passado que condena

Amigo de longa data da vice-prefeita de Luziânia é investigado por diversas acusações, principalmente de suposto assédios a mulheres.

Sob o título: “meu passado me condena!”, a matéria destaca que essa é a “melhor resposta ao jogo de mentiras e falsidades veiculado” pela oposição paralelamente de Luziânia-GO que, “quando governo, escondeu a própria corrupção debaixo do tapete”.

“A oposição usa às redes sociais para ocultar seus inúmeros malfeitos e ilicitudes. Não bastassem os escândalos da gestão do ex-prefeito Cristóvão Tormin, os opositores tentam desviar a atenção de sua mazela mais recente: a vice-prefeita e acusada de uma suposta “fura-fila” na saúde, que é acusada por uma moradora, Ana Lúcia e investigada pela Polícia Civil de ter participado de um suposto esquema de corrupção habitacional na época em que foi vereadora, além de aterroriza a população com notícias falsas”, afirma um vereador da cidade.

Cristóvão Tormin na época prefeito pelo partido (PSD), em 27/11/2020, foi alvo, de uma ação movida pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), por meio da 6ª Promotoria de Justiça do município. A acusação contra ele seria de improbidade administrativa, uma vez que ele é suspeito de ter cometido assédio moral e sexual contra uma servidora da prefeitura nos últimos anos de sua gestão.

Segundo a ação, ao manter o réu à frente da administração municipal naquela época, principalmente por sua posição política no município, é forte séria de impacto negativo na população e ocasiona descrédito nas instituições públicas.

“Verifica-se que as condutas lascivas, indecorosas e não consentidas praticadas por Tormin, no exercício e por conta do cargo que ocupa, contra a vítima afrontam a Constituição Federal, maculando não só a dignidade sexual da vítima, mas também a moralidade administrativa do cargo de chefe do Poder Executivo municipal”, afirmou a Promotoria de Justiça.

A Polícia Federal suspeita que tenha ocorrido fraudes em dois contratos feitos pelo Fundo Municipal de Saúde para compra de 15 mil testes para Covid e para produção de vídeo institucionais associados às ações de combate à pandemia dos anos 2020, denúncias que manchou a vida do atual deputado.

O parlamentar Cristóvão Tormin, se ele mesmo não for o candidato a Prefeito nas eleições de 2024, possivelmente será o principal coordenador de campanha da oposição, com que moral esse grupo vai para rua pedir seu voto cidadão? Estão, iguais o navio do Titanic, só afundando!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *