Seja bem-vindo. 19 de julho de 2024 21:38
Previous slide
Next slide

Mulher derrama R$ 13 milhões em vinhos para se vingar de demissão de adega

Ao todo, foram derramados 60 mil litros de vinho tinto da vinícola Cepa 21

Uma espanhola foi presa quatro meses após sabotar a adega em que trabalhava após ser desligada da empresa. A mulher, que não teve a identidade revelada, não aceitou o desligamento e derramou cinco barris de vinho, causando um prejuízo de 2,5 milhões de euros, cerca de R$ 13 milhões.

Ao todo, foram derramados 60 mil litros de vinho tinto da vinícola Cepa 21. A sabotagem ocorreu no dia 18 de fevereiro e a prisão na quarta-feira (26). A ação foi registrada por câmeras de monitoramento, que filmaram a mulher entrando no local usando um capuz e abrindo os tanques, deixando toda a bebida vazar pelo chão.

Segundo informações da Guarda Civil de Valladolid, os barris violados armazenavam a colheita dos três vinhos mais vendidos pela empresa. As investigações apontaram que a ex-funcionária tinha um contrato temporário de trabalho, válido por um ano.

De acordo com as autoridades, a mulher foi liberada após prestar depoimento e o caso irá a julgamento.

 

Pai usou filho adolescente para matar mulher a tiros por vingança

Em abril do ano passado, Michele se desentendeu com a filha do acusado, um homem de 42 anos, e tentou matá-la a tiros

Um homem usou o filho menor de idade para matar Michele Carvalho Magalhães, 30 anos, na Estância Mestre d’Armas 5, em Planaltina (DF). Segundo a investigação da 16ª DP, o crime foi motivado por vingança.

Em abril do ano passado, Michele se desentendeu com a filha do acusado, um homem de 42 anos, e tentou matá-la a tiros. A mulher respondia a esse crime em liberdade.

Na madrugada de segunda-feira (26/12), o acusado e o filho se depararam com Michele acompanhada de um amigo ao lado do carro dela, um Fiat Mobi, que estava quebrado.

“Ficou bem claro que os autores encontraram a vítima junto com seu amigo, com o carro que já estava quebrado, e aproveitaram a oportunidade para vingança”, disse o delegado Marcelo Gaia, da 16ª DP (Planaltina).

O amigo de Michelle chegou a pedir ajuda para empurrar o veículo. “Quando Michelle entra no carro para ligar o veículo, o menor pergunta: o carro é seu? Ela responde que sim. Ele de imediato desfere dois tiros de arma de fogo contra ela”, contou o delegado. O amigo de Michelle fugiu.

“Na hora que o menor desfere os disparos de arma de fogo, o pai dele, segundo a própria vítima sobrevivente, determina ainda que ele atire nessa vítima, com o termo dele: bora, atira! Senão ele vai contar”, revelou o delegado. Mas o rapaz conseguiu fugir correndo em zigue-zague e não foi alvejado.

Inicialmente, o caso era investigado como feminicídio, segundo protocolo da PCDF para combater a violência contra a mulher. Conforme a coleta de provas, os policiais podem mudar a linha de investigação, como foi no episódio de Michelle.

O acusado adulto foi preso nessa quinta (28/12). O filho dele, de 17 anos, está foragido. Segundo a PCDF, a arma utilizada no crime seria um revólver 38, ainda não foi encontrada. A princípio, a suspeita é que ela seja irregular. O homem não é Colecionar Atirador Esportivo e Caçador (CAC).

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) informou que, quando a equipe da corporação chegou ao local do ocorrido, a vítima já estava morta. Ela foi achada caída, de bruços, ao lado de um Fiat Mobi.

De acordo com a Polícia Civil, momentos antes de o socorro ser acionado, o veículo havia colidido contra o portão de uma serralheria, na rua imediatamente acima daquela em que foi achada a vítima.