Seja bem-vindo. 19 de maio de 2024 23:04
Previous slide
Next slide

Saiba quem é o suspeito de matar a ex na noite de Réveillon no DF

Luiz Cláudio de Lima Moreira, 41, é o principal suspeito de ter assassinado Jaqueline Reis. Ela foi morta a facadas na véspera do Ano-Novo

O principal suspeito de ter assassinado Jaqueline Reis, 29 anos, é o ex-companheiro dela, Luiz Cláudio de Lima Moreira (foto em destaque), 41. Ela foi morta a facadas em Planaltina na véspera do Ano-Novo.

A coluna Na Mira apurou que Luiz Cláudio de Lima Moreira, 41, fugiu logo após cometer o crime, na noite de domingo (31/12). O homem tem uma passagem antiga pela polícia, por roubo. Com medo do foragido, familiares preferiram não se identificar.

Jaqueline tinha três filhos pequenos: de 12, 8 e 4 anos. A mulher foi socorrida por populares, que a levaram para o Hospital Regional de Planaltina. Porém, a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Segundo a Polícia Militar do DF (PMDF), a motivação do crime teria sido o fim do relacionamento do casal. O crime é investigado pela 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina).

Esse é o 33º feminicídio do ano. Na terça-feira última (26/12), Michele Carvalho Magalhães foi apontada como a 33ª vítima do crime, mas, após uma reviravolta, o caso foi apontado como homicídio.

Em 2023, o DF teve registro da violência no primeiro e no último dia do ano. Em 1º de janeiro de 2023, Fernanda Letícia da Silva, então com 27 anos, foi asfixiada pelo namorado Maxwel Lucas Rômulo Pereira de Oliveira, 32, na QNP 17, em Ceilândia.

Após cometer o crime, o assassino chamou os parentes e confessou o homicídio. Maxwel disse para a mãe que a companheira estava com a boca roxa. Antes de fugir, ainda pediu para a família “chamar a polícia para buscar o corpo”.

Jovem morta a tiros: PCDF descobre plano de vingança e prende suspeito

Michele Magalhães respondia em liberdade, desde 2022, por uma tentativa de homicídio

As investigações sobre a morte de Michele Carvalho Magalhães, 30 anos, tiveram uma grande reviravolta nos últimos dias. A mulher foi encontrada morta caída, de bruços, ao lado de um Fiat Mobi na madrugada de terça-feira (26/12). Inicialmente, o caso era tratado como o 33º feminicídio registrado na capital federal em 2023. Contudo, as apurações apontam para uma outra motivação: vingança.

Segundo processo que tramita no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Michele Magalhães respondia em liberdade, desde 2022, por uma tentativa de homicídio contra outra jovem da região de Planaltina. Na ocasião, ela teria tentado matar a vítima a tiros.

A coluna apurou que a tese principal em investigação na 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina) é de que os familiares da jovem resolveram se vingar e promoveram o atentado que acabou tirando a vida de Michele.

Um dos suspeitos foi preso em flagrante nessa quinta-feira (28/12). O comparsa, que seria o autor dos disparos, segue foragido. O de Michele, que também estava em via pública, foi perseguido e alvo de disparos de arma de fogo. Os responsáveis irão responder pelos crimes de homicídio e homicídio na forma tentada, além do delito de corrupção de menores atribuído ao maior autuado em flagrante.

O caso ocorreu na Estância Mestre d’Armas 5, em Planaltina (DF). O carro que estava perto do corpo de Michele estava registrado no nome dela.