Seja bem-vindo. 1 de março de 2024 23:15
Previous
Next

Abalada emocionalmente, enfermeira atacada ficará afastada por 45 dias

Abalada emocionalmente, enfermeira atacada ficará afastada por 45 dias

Secretaria de Saúde se manifestou sobre ataque à enfermeira no HRC, citando afastamento da profissional por 45 dias e chance de não retornar

A Secretaria de Saúde emitiu nota condenando os ataques a uma enfermeira no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), na madrugada de sexta-feira (6/10). Segundo a pasta, a profissional alvo das ameaças está afastada e pode não voltar ao trabalho. “Provavelmente, não terá condições emocionais de retornar para a mesma função após seu retorno”, afirma a pasta.

O caso chocou a enfermeira, que trabalhava na classificação inicial dos pacientes quando passou a ser ofendida e ameaçada pela mãe de um paciente da pediatria. Fora de controle, a mulher passou horas gritando contra a profissional, dizendo que “pegaria” ela “lá fora”, no fim do plantão. Ela chegou até a desafiar a polícia: “Vamos ver se esses vermes ‘vai’ vir me segurar”

A Secretaria de Saúde detalha que as ameaças aconteceram no Pronto Socorro de Pediatria do Hospital Regional de Ceilândia (HRC), quando havia apenas um pediatra de plantão e os atendimentos estavam restritos a pacientes classificados como vermelho e laranja (casos mais graves). A pasta ainda ressaltou que, no momento em que a mulher gritava, havia uma criança grave sendo atendida no box de emergência.

“A mãe de uma criança classificada como verde queria que a enfermeira da triagem mudasse a classificação para que ela fosse atendida de imediato, o que não é permitido. Diante do fato, a mãe da criança se irritou, iniciou uma série de xingamentos e graves ameaças contra a profissional classificadora. Após o plantão, a enfermeira registrou queixa na delegacia. Está afastada 45 dias por motivos de saúde. Provavelmente, não terá condições emocionais de retornar para a mesma função após seu retorno.”

A Secretaria finalizou o texto afirmando que “repudia qualquer tipo de violência contra seus profissionais”. A vítima abriu um boletim de ocorrência contra a autora das ameaças na 15ª DP (Ceilândia Centro), que vai investigar o crime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *