Seja bem-vindo. 14 de junho de 2024 05:50
Previous slide
Next slide

PMDF desarticula quadrilha por tráfico interestadual de drogas

Os policiais apreenderam um total de 88 tabletes de maconha, uma balança de precisão e uma faca

Na noite desta segunda-feira (11), a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) realizou a prisão de cinco indivíduos envolvidos em tráfico de drogas, em uma ação na região de Samambaia.

A operação, conduzida pela equipe de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM), resultou na detenção dos suspeitos que haviam partido de Goiânia, Goiás, com destino a Brasília, Distrito Federal, com o objetivo de buscar entorpecentes.

Durante a abordagem, os policiais apreenderam um total de 88 tabletes de maconha, uma balança de precisão e uma faca, itens que, segundo as autoridades, seriam utilizados na distribuição e comercialização da droga. Os detidos foram encaminhados para a delegacia da área, onde o flagrante foi devidamente registrado.

“Playboy do haxixe” era considerado o maior traficante de Águas Claras

Traficante de 26 anos usava quarto de hotel na região como depósito de entorpecentes, para revendê-los a clientes de alto poder aquisitivo

Há cerca de um mês e meio, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) monitorava o “playboy do haxixe“, o principal alvo da Operação Hassan Sabbah, deflagrada nesta sexta-feira (27/10). O investigado, de 26 anos, usava um quarto de luxo em um hotel de Águas Claras como depósito para distribuir droga e abastecer usuários de altíssimo poder aquisitivo.

Durante a operação, outros dois suspeitos foram presos, considerados parceiros de tráfico do principal alvo da polícia. A força-tarefa ocorreu em Águas Claras, Ceilândia e Samambaia. As equipes cumpriram ainda seis mandados de busca e apreensão.

Delegado-chefe da 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul), Luiz Alexandre Gratão afirma que o “playboy do haxixe” era considerado, atualmente, o maior fornecedor de drogas na região.

Homem é preso com 500 kg de maconha no Distrito Federal

De acordo com a PRF, a droga estava no porta-malas e no banco traseiro do carro conduzido pelo suspeito, que afirmou que receberia R$ 20 mil pelo serviço

Um homem de 32 anos foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na manhã desta sexta-feira (20/10), em Santa Maria, no Distrito Federal, com 500 kg de maconha. A droga estava no porta-malas e no banco traseiro do veículo que era conduzido pelo suspeito.

Segundo a PRF, durante fiscalização na BR-040, os policiais abordaram o carro, que tinha placas da Bahia e seguia no sentido Valparaíso de Goiás-Brasília. Ainda de acordo com a corporação, o homem estava com uma atitude suspeita.

Percebendo o nervosismo do condutor, os agentes abordaram o veículo, onde encontraram vários pacotes de maconha no porta-malas e entre os bancos traseiros. “Pela quantidade de pacotes, que tem cerca de 1kg cada, estima-se um total de 500 kg”, informou a PRF, em nota.

O condutor disse aos policiais que recebeu a droga em Uberlândia (MG) e que a transportaria para o Distrito Federal, recebendo R$ 20 mil pelo serviço. Além do tráfico, os agentes da PRF identificaram que o veículo rodava com placas clonadas e tinha uma ocorrência de apropriação indébita.

O motorista do veículo foi preso por tráfico de drogas e a ocorrência foi encaminhada para Coordenação de Repressão às Drogas (CORD/PCDF), que ficou a cargo das investigações.

Princesinha do Pó é presa de novo 7 dias depois de ser detida em operação

Princesinha do Pó é presa de novo 7 dias depois de ser detida em operação

Lorrane Santos da Rocha, conhecida como Princesinha do Pó, estava com o namorado perto da Rodoviária do Plano. Eles são suspeitos de tráfico.

Lorrane Santos da Rocha e o namorado, Pedro Henrique Fernandes da Silva Lima, foram presos na noite desta sexta-feira (10/3), próximos da Rodoviária do Plano Piloto, suspeitos de tráfico de drogas. Seria uma detenção comum se não fosse pelo fato de que denúncias chegaram à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) afirmando que mulheres detidas em uma operação no dia 3 de março estariam nas ruas novamente atuando no tráfico. E Lorrane, conhecida com o Princesinha do Pó, era uma delas.

Ela havia sido presa da operação Caminho das Pedras (anteriormente chamada Bad Nurse) no início do mês e depois liberada com tornozeleira eletrônica. Mesmo assim, estava com o namorado supostamente traficando. Os policiais civis receberam as denúncias e seguiram com investigações de campo.

Eles seguiram Lorrane e Pedro, que saíram da Rodoviária do Plano Piloto, afugentados por um trabalho de prevenção da Polícia Militar no local, e foram para um shopping próximo. Notaram três negociações de drogas e, então, o casal notou a presença dos policiais.

A equipe de investigação prendeu os dois. Pedro ainda jogou pedras de crack que estavam em seu poder na rua. Uma parte caiu no asfalto e foi destruída pelos carros que passavam. Porém, uma certa quantidade ficou na calçada. De acordo com os policiais, era uma quantia bem maior que a porção usualmente encontrada com usuários no local.

Pedro tinha uma uma grande quantia de dinheiro, uma máquina de cartões e um celular. O suspeito disse que estava bebendo com Lorrane na região, tinha recebido o salário aquele dia, mas não deu o endereço exato do emprego. No celular dele, os policiais encontraram mensagens relacionadas ao tráfico.

Prisão sete dias antes
Lorrane havia sido presa sete dias antes durante a Operação Bad Nurse, depois chamada de Caminho das Pedras. Conhecida como Princesinha do Pó, ela embolsou cifras superiores a R$ 35 mil bancadas por benefícios como Bolsa Família, Auxílio Brasil, o antigo Auxílio Emergencial, além de programas locais, como o DF sem Miséria e o DF Social. Os valores pagos mensalmente compreendem os anos de 2020 e 2023.

De acordo com o Portal da Transparência do Governo Federal, desde o início dos repasses, em 2020, a traficante abocanhou R$ 4.087 de Auxílio Brasil, R$ 9.618 do antigo Auxílio Emergencial e R$ 21.396 de Bolsa Família/Auxílio Brasil. Além da quantia que ultrapassa os R$ 35 mil transferida pelo governo federal, a traficante ainda é contemplada com repasses do GDF.

Na Mira

Princesinha do Pó é presa de novo 7 dias depois de ser detida em operação
Lorrane Santos da Rocha, conhecida como Princesinha do Pó, estava com o namorado perto da Rodoviária do Plano.

Lorrane Santos da Rocha e o namorado, Pedro Henrique Fernandes da Silva Lima, foram presos na noite desta sexta-feira (10/3), próximos da Rodoviária do Plano Piloto, suspeitos de tráfico de drogas. Seria uma detenção comum se não fosse pelo fato de que denúncias chegaram à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) afirmando que mulheres detidas em uma operação no dia 3 de março estariam nas ruas novamente atuando no tráfico. E Lorrane, conhecida com o Princesinha do Pó, era uma delas.

Ela havia sido presa da operação Caminho das Pedras (anteriormente chamada Bad Nurse) no início do mês e depois liberada com tornozeleira eletrônica. Mesmo assim, estava com o namorado supostamente traficando. Os policiais civis receberam as denúncias e seguiram com investigações de campo.

Eles seguiram Lorrane e Pedro, que saíram da Rodoviária do Plano Piloto, afugentados por um trabalho de prevenção da Polícia Militar no local, e foram para um shopping próximo. Notaram três negociações de drogas e, então, o casal notou a presença dos policiais.

Mais sobre o assunto
Princesinha do pó: traficante recebeu R$ 35 mil de Auxílio Brasil e DF Sem Miséria
Polícia Civil do DF está em busca da “Princesinha do Pó”. Veja fotos
A equipe de investigação prendeu os dois. Pedro ainda jogou pedras de crack que estavam em seu poder na rua. Uma parte caiu no asfalto e foi destruída pelos carros que passavam. Porém, uma certa quantidade ficou na calçada. De acordo com os policiais, era uma quantia bem maior que a porção usualmente encontrada com usuários no local.

 

Pedro tinha uma uma grande quantia de dinheiro, uma máquina de cartões e um celular. O suspeito disse que estava bebendo com Lorrane na região, tinha recebido o salário aquele dia, mas não deu o endereço exato do emprego. No celular dele, os policiais encontraram mensagens relacionadas ao tráfico.

Prisão sete dias antes
Lorrane havia sido presa sete dias antes durante a Operação Bad Nurse, depois chamada de Caminho das Pedras. Conhecida como Princesinha do Pó, ela embolsou cifras superiores a R$ 35 mil bancadas por benefícios como Bolsa Família, Auxílio Brasil, o antigo Auxílio Emergencial, além de programas locais, como o DF sem Miséria e o DF Social. Os valores pagos mensalmente compreendem os anos de 2020 e 2023.

De acordo com o Portal da Transparência do Governo Federal, desde o início dos repasses, em 2020, a traficante abocanhou R$ 4.087 de Auxílio Brasil, R$ 9.618 do antigo Auxílio Emergencial e R$ 21.396 de Bolsa Família/Auxílio Brasil. Além da quantia que ultrapassa os R$ 35 mil transferida pelo governo federal, a traficante ainda é contemplada com repasses do GDF.

 

Princesinha do Pó foi presa em operação da PCDFReprodução

Enfermeira do tráfico
Lorrane é filha de Suelene Santos Soares, a enfermeira do tráfico, também presa na Operação Bad Nurse. Segundo as apurações policiais, a profissional da saúde criou uma rede de vapores, responsáveis pela distribuição de drogas na região da Rodoviária do Plano. A maioria era moradores de rua e garotas de programa que vagam pelo SCS.

A mulher possui uma sala comercial, na área central, usada de apoio para a distribuição de crack. A filha da enfermeira, também suspeita de integrar o esquema criminoso, é outro alvo da operação.

Os investigadores descobriram uma artimanha da enfermeira do tráfico. Para fugir de olhares curiosos e, principalmente das viaturas da Polícia Militar que patrulham a região, a traficante costuma escalar as árvores e permanecer sentada durante horas nos galhos mais altos.

Há mais de 10 anos traficando na área central, a mulher costumava apenas fazer sons com a boca para chamar a atenção dos usuários ávidos por uma pedra.