Seja bem-vindo. 16 de abril de 2024 05:02
Previous slide
Next slide
Previous slide
Next slide

Pai de feminicida troca tiros com policiais durante operação do MPDFT

Os mandados miram em casas de familiares do suspeito. A operação segue em curso e um alvos chegou a reagir e trocar tiros com a polícia

O pai de um feminicida trocou tiros com agentes da Polícia Civil (PCDF) durante operação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) nesta quinta-feira (8/2). O homem foi baleado na barriga e foi levado a um hospital.

A operação é focada em localizar armas de fogo ilegais vinculadas a Wesly Denny da Silva Melo (foto em destaque), 29 anos, que executou a ex-mulher no início de janeiro. A 1ª Promotoria de Justiça do Tribunal do Júri do Gama e a Polícia Civil do DF (PCDF) cumpriu mandados de busca e apreensão em cinco endereços no Gama, onde o crime aconteceu, e em Santa Maria.

Wesly usou uma pistola 9 mm no crime. A arma e o carro usado foram apreendidos em 11 de janeiro, no Entorno do Distrito Federal. O homem tem 11 passagens pela polícia e era considerado foragido pela polícia. Um amigo dele contou que o criminoso guardava em casa um rifle e quatro pistolas.

 

Os mandados miram casas de familiares do suspeito, que possui registro de Colecionador, Atirador e Caçador (CAC) e matou a vítima com um tiro no rosto, quatro nas costas e um nas nádegas. Caso a ocultação de armas e artefatos bélicos for confirmada, os responsáveis por guardar os itens podem ser denunciados pela posse irregular de arma de fogo.

A investigação do feminicídio continua e as operações de procura das armas desdobram o caso. Quando Wesly Denny da Silva Melo era considerado foragido, sua casa foi alvo de buscas. Lá foi encontrada uma arma de fogo sem registro e documentos relacionados a outras armas, inclusive um fuzil.

Os armamentos não tinham identificação nos sistemas dos órgãos responsáveis pelo registro de armas e o Ministério Público verificou a necessidade dessa busca e apreensão das peças em situação irregular.

Caso a ocultação de armas e artefatos bélicos for confirmada, os responsáveis por guardar os itens podem ser denunciados pela posse irregular de arma de fogo.