Seja bem-vindo. 24 de junho de 2024 03:15
Previous slide
Next slide

Caso Jovem Pâmela, polícia não descarta possibilidade de novas vítimas

Durante a operação, foi coletado material genético (DNA) do preso, para comparação com material biológico encontrado sob a unha da vítima, o vídeo abaixo mostra a vítima passando pela rua, depois abordada pelo autor que estava em uma motocicleta. Veja 

A Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH/PCGO) deu cumprimento ao mandado de prisão temporária e de busca domiciliar contra Osvaldo Pereira de Sousa, suspeito de ter matado a jovem deficiente mental de 19 anos Pâmela Carneiro de Araújo. 

Pâmela era pessoa com deficiência mental severa e foi encontrada morta afogada às margens de uma represa, no Residencial Campos Dourados, em Goiânia, com sinais de violência grave em seu corpo, fato ocorrido no dia 14 de março de 2024.

Após semanas de investigação, a Delegacia de Homicídios chegou a imagens de câmeras de segurança que mostram o preso abordando a vítima na rua, oferecendo a ela uma flor, colocando-a na garupa de sua motocicleta e a levando em direção ao local em que foi encontrada morta.

Durante a operação, foi coletado material genético (DNA) do preso, para comparação com material biológico encontrado sob a unha da vítima.

Na busca domiciliar, também foram apreendidas as roupas que o preso usava no dia do crime, seu aparelho celular, a moto e o capacete usado por ele no dia em que colocou a jovem deficiente mental em sua moto e a levou para o local ermo em que ela foi encontrada morta.

A divulgação da imagem e da identificação do preso foi precedida nos termos da Lei nº. 13.869/2019, portaria n.º 02/2020 – PC, Despacho do Delegado Geral, n.º 000010828006 e Despacho DIH/DGPC- 09555 dos responsáveis pela investigação, fundamentada na possibilidade de surgimento de testemunhas que auxiliem no esclarecimento do crime em tela bem como na possibilidade de surgirem outras vítimas de crimes praticados pelo preso.