Seja bem-vindo. 24 de junho de 2024 05:04
Previous slide
Next slide

A impressionante aprovação de Ronaldo Caiado

A impressionante aprovação de Ronaldo Caiado

Com 86% de aprovação, Caiado sai na frente na corrida entre “herdeiros” de Bolsonaro

Avaliação do governador de Goiás em seu estado supera “concorrentes” Ratinho Júnior (PR), Tarcísio de Freitas (SP) e Romeu Zema (MG); pesquisa também mediu percepção sobre governo Lula nos 4 estados

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), que já se declarou pré-candidato à Presidência da República nas eleições de 2026, é o mais bem avaliado entre os principais nomes de gestores estaduais identificados com o bolsonarismo. É o que mostra um levantamento da Genial/Quaest, divulgado nesta quinta-feira (11), com a avaliação dos eleitores de Goiás, Paraná, São Paulo e Minas Gerais.

De acordo com a pesquisa, Caiado obtém a aprovação de 86% da população goiana – ou seja, quase 9 de cada 10 eleitores do estado se dizem satisfeitos com o desempenho do governador, que está em seu segundo mandato. Caiado tem apenas 12% de reprovação entre os goianos, enquanto 2% não souberam ou não responderam.

O segundo governador mais bem avaliado pela população, entre os quatro estados pesquisados, é o do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), com 79% de apoio – oito de cada 10 eleitores. O percentual dos que o rejeitam é de 17%, enquanto 4% não souberam ou não responderam.

Também cotados como possíveis candidatos do campo bolsonarista nas eleições presidenciais de 2026, os governadores de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), têm desempenho semelhante em seus respectivos estados.

Em seu primeiro mandato à frente do Palácio dos Bandeirantes, Tarcísio é aprovado por 62% dos paulistas, enquanto 29% o desaprovam e 9% não souberam ou não responderam. Em Minas, Zema, governador em segundo mandato, tem os mesmos 62% de aprovação e uma rejeição ligeiramente maior que a de Tarcísio (31%). São 7% os que não souberam ou não responderam.

Dos quatro governadores, o único que está em seu primeiro mandato é Tarcísio de Freitas – que, em tese, pode optar por uma candidatura à reeleição em São Paulo, em vez de já concorrer ao Planalto em 2026. Caiado, Ratinho e Zema se despedem do governo estadual daqui a 2 anos.

A Quaest mostra que o saldo de avaliação de Caiado (a diferença entre a aprovação e a reprovação) é positivo em 64 pontos percentuais, o maior entre os quatro governadores. Em seguida, aparecem Ratinho (52 pontos percentuais), Tarcísio (25 p.p.) e Zema (23 p.p.).

A grande surpresa é a força do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, que é o mais bem avaliado dos 4 governadores e parece estar construindo uma política de segurança que é aprovada e pode servir de plataforma eleitoral no futuro”, observa Felipe Nunes, diretor da Quaest.

“Pensando em 2026, dada a inelegibilidade de Bolsonaro, o governador de São Paulo parece ser o mais bem posicionado na ‘disputa’ pelo espólio bolsonarista. Além de governar o maior colégio eleitoral, Tarcísio está bem avaliado”, analisa.

Avaliação de Lula
O levantamento da Quaest também pesquisou a aprovação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nos quatro estados. De acordo com o instituto, o petista conta com uma aprovação superior à desaprovação em São Paulo (50% a 48%) e Minas Gerais (52% a 47%) – os dois maiores colégios eleitorais do país.

Em Goiás, há um empate técnico entre quem aprova e desaprova Lula (49% e 50%, respectivamente). No Paraná, o presidente é rejeitado por 54% dos eleitores e aprovado por 44%.

“Se compararmos os resultados em votos totais e a aprovação do governo, percebemos que Lula tem conseguido ampliar a aprovação do seu governo para além dos votos que obteve em 2022. Mesmo em estados como São Paulo, Paraná e Goias, onde ele perdeu a eleição”, destaca Nunes.

“O que deve chamar a atenção do governo é que há uma percepção generalizada de que a economia piorou no último ano. Nos 4 estados, a maioria avalia que a situação ficou pior: 49% no Paraná, 45% em Minas e Goiás e 42% em São Paulo.”

A pesquisa
A Quaest realizou 1.506 entrevistas presenciais em Minas Gerais; 1.121 no Paraná; 1.127 em Goiás; e 1.656 em São Paulo. As margens de erro da pesquisa são de 2,5 pontos percentuais em Minas Gerais; 2,9 p.p no Paraná e em Goiás; e 2,4 p.p em São Paulo, para mais ou para menos. O levantamento foi feito entre os dias 4 e 7 de abril de 2024.